menu
Topo

Transforma

Mulheres protagonizam um mundo em evolução

Sororidade: saiba o que é e aprenda a praticar verdadeiramente em 8 passos

iStock
sororidade Imagem: iStock

Heloísa Noronha

Colaboração para Universa

26/06/2018 04h00

A sororidade é um dos principais conceitos do feminismo e tem como peça-chave a aliança das mulheres entre si, à base de empatia e solidariedade, para viverem em uma sociedade mais igualitária, do ponto de vista de gênero. Isso significa se comover com o drama de outras mulheres de repercussão na imprensa e nas redes sociais, como o da mulher russa assediada por brasileiros na Copa? Sim. Mas, também, de ter um olhar mais humano e menos crítico para toda e qualquer mulher. Para incluir sororidade na sua vida, pratique as dicas a seguir:

Veja também

1. Não julgue a mulher que pensa ou age diferente de você

Se uma mulher optou por uma profissão que você nunca teria, prefere ser dona de casa, fala de uma forma diferente da sua, educa os filhos de um jeito que você não concorda ou adota roupas ou penteados que não têm nada a ver com seu estilo, nada de revirar os olhos. Entenda, respeite. Cada mulher tem o direito de ser o que quiser. Tente aceitar que outras mulheres façam escolhas diferentes das suas e isso engloba tudo. Não faça comentários maldosos e esquive-se de julgamentos que têm a ver apenas com a sua perspectiva das coisas.

2. Lembre-se que a outra é uma irmã, não uma rival

Não repita a ideia machista de que mulheres são rivais. Não é verdade. Você não precisa se comparar ou competir com outras mulheres para ter seu valor. Quando uma mulher fica se comparando com a outra, esquece que juntas podem ser mais fortes e se apoiar. A competição feminina só serve para tornar qualquer mulher uma presa fácil para o machismo. Juntas, todas se tornam mais fortes.

3. Ouça quem tem opiniões diferentes

Uma boa prática para inserir a sororidade no dia a dia é buscar conhecer um pouco mulheres de outras culturas, de crenças distintas, de faixas etárias ou classes sociais diferentes. Você não só vai entender melhor os pontos de vista alheios como terá a chance de aprender com elas. A troca vai ser enriquecedora.

4. Apoie o trabalho feminino

O mercado de trabalho ainda é muito desigual. Quando uma mulher emprega, incentiva, consome e/ou divulga o trabalho de outra, ela cresce, tem novas oportunidades. O Facebook é um campo fértil de grupos de compras e de trocas de serviços feministas exclusivas para as mulheres. Com isso, você pode ajudar desde novas empreendedoras até quem está pensando em se dedicar a um trabalho diferente para ficar mais tempo com os filhos. Além do mais, empresas com mulheres na liderança lucram mais.

5. Elogie

E faça isso não só com as mulheres do seu círculo social ou profissional. Que tal elogiar verdadeiramente uma desconhecida no ponto de ônibus ou na fila do banco? A sociedade, de modo geral, cobra demais das mulheres e espera que elas sejam perfeitas em todos os papéis: mãe, profissional, esposa, irmã, avó etc. Muitas dão tudo de si e ainda se sentem incomodadas por sempre deixar algo por fazer ou acharem que não estão conseguindo dar conta. Um elogio sincero quebra essa angústia, eleva a autoestima e dá forças para seguir em frente.

6. Ofereça e peça apoio

Não se trata de ser contra os homens, menos ainda de odiá-los, mas de desenvolver espírito de irmandade com o sexo feminino. Preste atenção: tente perceber quando uma mulher está precisando de ajuda e coloque-se à disposição. Isso inclui desde um simples bate-papo até perceber uma situação de risco, como ver uma mulher caminhando sozinha na rua à noite em local ermo. E solicite ajuda, também; não tenha receio de se mostrar vulnerável.

7. Livre-se de crenças antigas

Mande às favas ditados arcaicos como "Em briga de marido e mulher, ninguém mete a colher". Claro que mete, sim, ainda mais se você desconfiar de que uma amiga ou uma vizinha pode estar vivenciando uma situação abusiva em casa. Comece a ignorar, também, ideias que possam limitar as escolhas e os caminhos das futuras gerações, como "mulher é melhor em Humanas do que em Exatas" ou "essa profissão é coisa de homem". Incentive filhas, sobrinhas ou adolescentes com quem convive a lutar pelos seus sonhos, não importa de que tamanho sejam.

8. Evite comentários desdenhosos 

Jamais faça ou aceite comentários desrespeitosos em relação às outras mulheres. Não permita que uma mulher seja, de qualquer forma, menosprezada ou ridicularizada. Seja solidária e repudie palavras ofensivas ou xingamentos que exponham qualquer mulher. Afinal, você é uma delas, certo?

FONTES

Izabel  Failde, psicóloga organizacional e consultora de desenvolvimento pessoal e autoliderança, de São Paulo (SP); Mônica Bayeh, psicóloga clínica e psicoterapeuta, do Rio de Janeiro (RJ); Morgause Lisetta, psicóloga junguiana, idealizadora e coordenadora do Espaço Inanna, em São Paulo (SP), facilitadora de Círculos de Mulheres e iniciada em Magia Natural; Paloma Afonso Martins, psicóloga e escritora no blog Conversa entre Marias, e Suely Buriasco, mediadora de conflitos e coach, de São Paulo (SP)

Mais Transforma