menu
Topo

Violência contra a mulher

PM afirma que punirá policial envolvido em vídeo machista na Rússia

Reprodução
Torcedores brasileiros gravaram um vídeo em que ofendiam uma mulher estrangeira Imagem: Reprodução

da Universa, em São Paulo

19/06/2018 13h49

A Polícia Militar de Santa Catarina confirmou a presença de um policial entre o grupo de torcedores brasileiros que gravaram um vídeo machista ofendendo uma mulher durante o último domingo (17), na Rússia.

Nas imagens, uma mulher, que aparentemente não fala e não entende português, é rodeada por homens que vestem a camiseta da Seleção Brasileira e gritam em coro “boceta rosa”, se referindo à genitália da mulher. 

Desconcertada e visivelmente sem entender o que é dito, ela tenta reproduzir o canto a pedido de um dos homens. Os torcedores tiram selfies e continuam a cantar em coro. 

Veja também

O policial apontado em redes sociais como tenente Eduardo Nunes estaria em férias no país da Copa. Segundo a PM, o oficial deverá ser punido pela instituição.

"A corporação não corrobora com este tipo de atitude que é incompatível com a profissão e o decoro da classe, previsto no Regulamento Disciplinar e no Estatuto da PMSC, independentemente de estar em período de férias, folga de serviço ou qualquer outra situação de afastamento, devendo portanto, responder por suas atitudes", afirmou o tenente-coronel João Batista Réus em nota.

"Assim que se der seu retorno, a corporação abrirá um processo administrativo disciplinar para apurar a conduta do militar", concluiu.

Nesta segunda (18), já havia sido reconhecido o primeiro torcedor da sequência como Diego Valença Jatobá, ex-secretário de Turismo de Ipojuca (PE).

Advogado filiado ao PSB, Diego foi procurado pela reportagem de Universa, mas não retornou. Diante dos pedidos de cassação do registro de Diego nas redes sociais, a Ordem dos Advogados do Brasil emitiu nota de repúdio às atitudes demonstradas no vídeo. Leia na íntegra:

A Ordem dos Advogados do Brasil, Seccional Pernambuco, por intermédio da Comissão da Mulher Advogada, repudia veementemente o conteúdo de um vídeo amplamente divulgado nas redes sociais em que um grupo de brasileiros ladeia uma mulher, que aparentemente não é brasileira nem fala português, e profere em coro ofensas relacionadas ao seu órgão sexual.

Dentre os protagonistas do lamentável episódio, identifica-se o advogado Diego Valença Jatobá, regularmente inscrito nesta Seccional.

Segundo dados da ONU, uma em cada três mulheres é ou será vítima de violência de gênero no mundo, sendo o Brasil o 5º país no ranking mundial de violência contra as mulheres.

De acordo com Relógios da Violência do Instituto Maria da Penha, a cada 2 segundos uma mulher é vítima de violência física ou verbal no Brasil e a cada 1.5 segundo uma mulher é vítima de assédio na rua.

As estatísticas são alarmantes e nos levam a uma profunda reflexão sobre a necessidade de uma mudança urgente da cultura machista e patriarcalista em que nossa sociedade ainda está, infelizmente, inserida.

A preconceituosa atitude é causa de vergonha para todos nós, brasileiros, e vai na contramão do atual contexto de luta contra a desigualdade de gênero, em que cada dia mais as instituições públicas e privadas estão em busca de soluções conjuntas para que nenhuma mulher sofra qualquer tipo de violência ou discriminação pelo fato de ser mulher.

A Ordem dos Advogados do Brasil, Seccional Pernambuco, por intermédio da Comissão da Mulher Advogada, reafirma seu compromisso de trabalho incansável para que os princípios do Estado Democrático de Direito sejam resguardados, proporcionando-se às mulheres a garantia de exercício de suas liberdades individuais e sexuais, com igualdade de espaço, de oportunidades e, sobretudo, de tratamento.