menu
Topo

Política

Por que estas mulheres vão dar seu voto a Jair Bolsonaro?

Pedro Ladeira/Folhapress
O candidato à Presidência da República pelo PSL, Jair Bolsonaro Imagem: Pedro Ladeira/Folhapress

Natacha Cortêz

Da Universa

11/06/2018 04h00

Mulheres são, ao lado das pessoas de baixa renda, a parcela da sociedade brasileira que mais rejeita Jair Bolsonaro (PSL) como presidente da República. 

O dado é da última pesquisa Datafolha realizada na primeira semana de junho. Em uma simulação com Lula na concorrência, 11% das mulheres entrevistadas declararam dar seu voto a Bolsonaro. Entre os homens, o índice chega a 23% - mais que o dobro. A mesma pesquisa trouxe o candidato do PSL como líder em um cenário sem Lula.

Declarações de Bolsonaro, consideradas agressivas às mulheres, podem ter afugentado o voto feminino. Duas delas ganharam destaque particular na imprensa. “Eu tenho cinco filhos. Foram quatro homens, a quinta eu dei uma fraquejada e veio uma mulher" e “Jamais iria estuprar você, porque você não merece”. A primeira, ele disse em uma palestra no Rio de Janeiro. A segunda, em resposta à deputada federal Maria do Rosário (PT - RS), depois dela o ter chamado de “estuprador”. Por essa, Bolsonaro se tornou réu em duas ações penais no STF. 

Veja também

Nenhum desses episódios influenciou de maneira negativa as nove eleitoras do candidato ouvidas por Universa. “Sei que a primeira é mera brincadeira, e, quanto à segunda, foi a deputada quem começou as ofensas", nos contou a comerciante paulistana Ana Paula Santos, de 40 anos.

Em comum, elas ainda mostram preocupação com a segurança pública de suas cidades e gostariam de ver o porte de armas liberado no país. São contra políticas que facilitem o aborto e favoráveis a um projeto em particular do político, o da castração química para estupradores (PL 5398/13). 

A socióloga espanhola Esther Solano, também professora da Unifesp na disciplina de Desafios da Democracia, entrevistou “simpatizantes” de Bolsonaro e encontrou desejos parecidos entre eles. “São pessoas conservadoras, com uma rejeição ao avanço dos movimentos feminista, negro e LGBT. Valorizam os valores cristãos, da família, da ordem, da autoridade, da hierarquia, e por isso se sentem ameaçados por avanços progressistas.”

Aqui, as respostas de cada uma das nove entrevistadas pela reportagem para a pergunta: "Quais motivos te levam a votar em Bolsonaro?".

A proposta de castração química para estupradores me agrada muito"

Arquivo pessoal
Imagem: Arquivo pessoal

"Já votei no Bolsonaro como deputado nos dois últimos pleitos. Rola uma identificação de ideias. Depois, levo em consideração a idoneidade. Quero um próximo presidente que não seja corrupto. As pessoas acham que por eu ser mulher e negra, não posso apoiar Bolsonaro. A proposta de castração química para estupradores me agrada muito. Sou também a favor da liberação do porte de armas. Como o Estado não consegue suprir totalmente a nossa segurança, quero ter o direito de proteger minha propriedade e vida. E não vai ser tipo ir no supermercado, comprar uma arma e virar um bang bang. Vai haver uma política pública. Se porventura um homem tentar me estuprar e estou armada, a possibilidade de eu ser violentada é mínima. Leis não protegem ninguém. Sobre as declarações dele encaradas como machismo, pra mim é só brincadeira. No caso da Maria do Rosário, é questão de ação e reação. Como um cara com projetos para defender a mulher, como a castração química, pode ser machista?!" Mariana Moreira, 32 anos, advogada e presidente do PSL Mulher no Vale do Paraíba.

"Não consigo mais confiar em candidato que olha apenas pra determinados grupos"

Arquivo pessoal
Imagem: Arquivo pessoal

"Ele representa tudo aquilo que o atual sistema não representa. E é diferente de todo mundo que está eleito. Eu tinha uma ideia sobre ele completamente diversa. Aquela mesma ideia que a grande mídia propaga: preconceituoso e machista. Mas quando me propus a estudar suas propostas, mudei minha percepção. As ideias dele acerca da diminuição da máquina pública me agradam, as ideias sobre segurança pública me agradam. Bolsonaro não é o tipo de candidato que vai pensar em leis que beneficiem apenas um grupo de pessoas. O que ele fará é o que já faz na câmara como deputado, que é pensar no Brasil como uma nação para todos. Não consigo mais confiar em candidato que olha apenas pra determinados grupos. Quando ele disse que deu uma fraquejada quando teve uma filha, primeiro eu ri, porque tenho muito senso de humor e tenho um pai muito parecido com ele, que brinca parecido. Depois, cheguei a conclusão que ele tem razão. Uma filha mulher sempre será o ponto mais fraco de um pai, ela vai ser motivo de preocupação constante." Stefanny Papaiano, 36 anos, estudante de Direito e coordenadora do movimento Direita São Paulo. São Paulo, SP.

"Nada temos para falar sobre corrupção em relação a pessoa pública dele"

Arquivo pessoal
Imagem: Arquivo pessoal

"Sou uma mulher negra, da periferia, que foi mãe solteira até pouco tempo. Não por isso quero que meu candidato só governe por mim e pelas minhas dificuldades. Desejo um candidato que governe para todos. E Bolsonaro promete isso. A gente tem que parar com essa filosofia de que o governo precisa dar conta de todo mundo. No mais, nada temos para falar sobre corrupção em relação a pessoa pública dele. Então, ainda que eu não compactuasse com os mesmos pensamentos de Bolsonaro, já votaria nele pela honestidade. Numa democracia, não podemos ficar tanto tempo governados pelo mesmo sistema. Precisamos abrir portas para o novo. Bolsonaro é o novo. Gosto também da política dele de armamento da população. Na situação de violência em que vivemos, acredito esse ser um bom caminho para os cidadãos de bem. Militarizar os colégios é outra ideia interessante. Sou mãe de três e isso me ajudaria a criá-los." Andreia Araujo, 35 anos, consultora em beleza. Manaus, AM.

"Ele é contra o comunismo e a favor dos valores da família"

Arquivo pessoal
Imagem: Arquivo pessoal

Tenho três filhos e sou casada. Meus amigos e família vão votar no Bolsonaro. Ele é contra o comunismo e a favor dos valores da família. Isso importa pra mim. Por exemplo, na educação, ele vai priorizar os ensinos fundamental e médio. Na saúde, as políticas preventivas. Na segurança, ele é armamentista e acredita na legítima defesa. A legítima defesa, com burocracia e responsabilidade, é necessária no cenário que vivemos. Hoje, quem fica preso dentro de casa? Nós. Quem tem armas e é livre? Os bandidos. O modelo americano é inspirador nesse sentido. Também concordo com a diminuição da maioridade penal. Algo que Bolsonaro apoia também. Sobre as declarações dele, como a da “filha”, ou a história com a Maria do Rosário, nenhuma nunca me influenciou negativamente. Eu sei que a primeira é uma mera brincadeira, e, quanto à segunda, foi a deputada quem começou as ofensas, chamando ele de “estuprador”. Ele é quem deveria ter processado ela, e não o contrário. Bolsonaro é um homem de bem, não estuprador." Ana Paula Santos, 40 anos, comerciante autônoma. São Paulo, SP.

"Ele é apoiador do projeto escola sem partido"

"Algumas propostas do candidato coincidem com o que quero para o país. Lutas pela vida e pela família, a questão do direito ao armamento, a doutrinação escolar, são pautas comuns e pelas quais eu também luto. A doutrinação escolar existe. E há anos. Os alunos são levados a acreditar em uma determinada versão dos fatos em detrimento de outros. Sofro na pele o resultado de anos de doutrinação. Por ter pensamentos conservadores, ser cristã, acreditar na família e defender a vida, sou tratada diferente pelos colegas de trabalho. Ano passado fui fortemente criticada e atacada por não querer aderir à uma greve. Sofri até ameaças! Isso é resultado da doutrinação da esquerda, principalmente no que diz respeito à minha categoria de trabalho. Minhas opiniões não são aceitas e, às vezes, nem ouvidas. Ele é apoiador do projeto escola sem partido. Para mudar uma sociedade é necessário começar pela base, investir nas crianças. Com esse projeto, se aprovado, a realidade vai mudar. Audrey* Araujo, 36 anos, professora. Ribeirão das Neves, MG.

*Audrey preferiu não mostrar o rosto.

"Ele, com seu jeito nem sempre politicamente correto, traz à tona a verdade"

Arquivo pessoal
Imagem: Arquivo pessoal

"Gosto da proposta por uma reforma política que viabilize a luta contra corrupção. Como mulher e mãe, as propostas de proteção à família, a escola sem ideologia de gênero e doutrinação também me interessam. Precisamos proteger a infância. Está acontecendo uma desconstrução familiar e do papel da mulher na sociedade. Bolsonaro é o único que tem coragem de se importar. Nós mulheres estamos perdendo direitos e espaço. Ele, com seu jeito nem sempre politicamente correto, traz à tona a verdade. A sociedade está carente, perdida e sem valor, sem paternidade. Precisamos voltar às origens, voltar ao conservadorismo. Por isso sou Bolsonaro. Os outros candidatos querem agradar a todos, não têm personalidade, não ousam se definir. Com Bolsonaro, sei em quem estou votando e por quê. Posso cobrar depois." Marisa Lobo, 45 anos, psicóloga e escritora. Curitiba, PR.

"O fato dele não estar ligado às roubalheiras todas também conta bastante"

Arquivo pessoal
Imagem: Arquivo pessoal

"Gosto da maioria das ideias de Jair Bolsonaro, e o fato dele não estar ligado às roubalheiras todas também conta bastante. Adoro a opinião dele sobre a violência nas cidades, de que poderemos nos defender em vez de esperar isso do Estado. Sou a favor do armamento da população, mas com restrições. Nem todos estão preparados para pegar em armas. Sei que ele pensará em regras pra lidar com essa questão. Sou mãe de duas crianças, e entendo que independente de cor, religião ou opção sexual, somos todos iguais. Não vai ser ensinado sexo nas escolas que isso será aprendido. Bolsonaro critica ideologia de gênero nas instituições de ensino. Gosto dessa postura." Eliane Oliveira, 32 anos, costureira. Natal, RN.

"Na minha cidade, assaltam escolas à mão armada"

"Voto em Bolsonaro porque não tem outro candidato que se enquadre tão bem em meus ideais. Ele é a favor do porte de arma para o cidadão, da castração química para estupradores, a favor da vida e anti-aborto, a favor de privatizações - que são necessárias, as empresas estão sucateadas. Segurança é outro ponto. Na minha cidade, assaltam escolas a mão armada. Não saio de casa com bolsa ou carteira. Nenhuma declaração do candidato sobre as mulheres me preocupou. Sei que ele é considerado machista e até intolerante, mas eu mesma nunca vi isso. Na verdade, o vejo como uma saída realista para essa criminalidade horrenda que o país passa. Em Juazeiro, uma amiga foi ameaçada de demissão porque disse que votaria nele. Chego a ter medo de declarar meu voto." Ceci* Souza, 27 anos, professora. Juazeiro do Norte, CE.

*Ceci preferiu não mostrar o rosto.

"Meu voto é Bolsonaro por ser o único candidato que não se envolveu em corrupção"

Arquivo pessoal
Imagem: Arquivo pessoal

"Meu voto é Bolsonaro por ser o único candidato que não se envolveu em corrupção. Por ter propostas de uma economia liberal e, sinceramente, por não haver no atual cenário nenhuma outra opção cabível. A forma como ele vê a segurança pública me agrada. A questão do armamento mesmo. Tenho marido carreteiro que já foi assaltado duas vezes e até  sequestrado na estrada. Já tive a casa assaltada duas vezes também. Imagine só, tenho dois filhos jovens. Estou sempre preocupada com a segurança deles. Sou de uma época em que sofri estupro, bullying, e passei por tantas questões sérias que me fizeram crescer e ser quem sou hoje. Não entendo essa geração chata pra caralho, na qual tudo é mimimi e politicamente correto. Bolsonaro se parece mais com os valores que acredito." Adriana Cristina Silva, 44 anos, charcuteira. Anápolis, GO.

Facebook Messenger

Receba seu horóscopo diário da Universa. É grátis!