menu
Topo

Universa

8 dicas comprovadas pela ciência para melhorar seu relacionamento

Getty Images
Imagem: Getty Images

Heloísa Noronha

Colaboração com Universa

27/07/2018 04h00

1. Façam coisas divertidas juntos

O marasmo é um dos principais inimigos de um relacionamento amoroso, segundo Shelly Gable, psicólogo da Universidade da Califórnia, nos Estados Unidos. De acordo com uma pesquisa que ele realizou com 125 casais, os mais felizes e satisfeitos foram aqueles que se divertiam a dois. Vale tudo: ir à praia, caminhar no parque, sair para dançar, assistir a uma comédia, conhecer um restaurante novo, patinar, colocar música num volume bem alto para fazer alguma tarefa doméstica etc. Isso acontece porque a sensação de excitação e felicidade produzida pelo momento é associada ao par, mesmo se ele não for a causa direta.

Veja também: 

2. Entre no movimento da #gratidão

Os pesquisadores norte-americanos Sara B. Algoe, Jonathan Haidt e Shelly L. Gable comprovaram que o reconhecimento é a peça-chave que sustenta uma relação bacana. O trio testou um grupo de casais em duas situações: em um dia, teriam de agradecer ao par por tudo o que eles fizessem; no outro, não diriam nada. No dia seguinte à demonstração de gratidão, homens e mulheres se sentiam mais próximos, felizes e fortalecidos.

3. Entenda que ostentar a felicidade a dois nas redes sociais não garante nada

De acordo com estudos conduzidos pela terapeuta e sexóloga Nikki  Goldstein, de Sidney (Austrália), quem vive postando selfies a dois e declarações românticas no Facebook ou no Instagram se preocupa mais com a validação das outras pessoas para a relação do que em se comprometer e ser feliz de fato. Para ela, muitas vezes, a “chuva de likes” pode ser a única coisa que mantém o relacionamento de pé. E mais: uma pesquisa feita pela Brunel University, de Londres (Reino Unido), concluiu que pessoas que postam frequentemente nas redes sociais sobre o par tendem a ter baixa autoestima. Há, ainda, trabalhos que indicam que "perfil de casal", na maioria das vezes, um dos parceiros é dominante ou controlador em relação ao outro.

4. Dividam o poder na relação

Segundo o professor de psicologia da Universidade Monmouth (EUA), Gary W. Lewandowski Jr., que criou uma lista de perguntas que podem ajudar quem está em dúvida sobre o que procura no amor, dividir igualmente a influência e poder de decisão no relacionamento é um dos fatores principais para que ele dê certo. E isso independe das diferenças de nível social, cultural e financeiro entre os dois. O casal que compreende que ambos são responsáveis de forma igualitária pela rotina, pelo dinheiro e pelas escolhas tende a ser mais flexível e equilibrado.

5. Façam sexo pelo menos uma vez por semana

Não são poucas as pessoas que acreditam que deveriam transar mais, mas a correria do dia a dia, o excesso de trabalho e a preocupação com os boletos e as tarefas domésticas acabam atrapalhando seus objetivos "carnais". No entanto, pesquisadores da Universidade de Toronto-Mississauga, no Canadá, apontaram que fazer sexo uma vez por semana já é o suficiente para que a relação seja feliz e duradoura. Eles analisaram mais de 30 mil pessoas com parceiros fixos ao longo de 40 anos e concluíram que uma frequência sexual maior não aumenta a sensação de satisfação e prazer.

6. Evite as críticas

Um dos principais especialistas em relacionamentos do mundo, o psicólogo norte-americano John Gottman há décadas analisa o comportamento de casais no "Laboratório do Amor" da Universidade de Washington (EUA). Entre as suas descobertas, feitas em parceria com sua esposa, a psicóloga Julie Gottman, está o fato de que o excesso de críticas e a desqualificação do par são um dos principais fatores que levam à separação. Na opinião dos experts, é producente aceitar o parceiro como ele é --em vez de tentar mudá-lo, outro erro grave para o sucesso de uma relação-- e entender que as pessoas são diferentes e, portanto, nunca vão fazer as coisas do jeito que as outras fazem.

7. Dividam as tarefas domésticas

Conforme um levantamento feito por pesquisadores da Universidade Estadual da Geórgia (EUA), casais que dividem tarefas domésticas e o cuidado com os filhos são mais felizes e têm uma vida sexual melhor. O motivo seria que as mulheres, em geral responsabilizadas pela maior parte desse trabalho, se sentem mais valorizadas, acolhidas e dispostas quando tudo é dividido.

8. Briguem, sim!

Mas de forma saudável, sem ofensas e com um objetivo em mente. A capacidade de discutir, argumentar e resolver as questões a dois contribui para um casal se dar bem, exercitar a empatia, acolher diferentes pontos de vista e conseguir alcançar as metas na relação. Essa foi a conclusão de uma pesquisa conjunta conduzida por cientistas das universidades da Califórnia e de Washington.

Mais Universa