menu
Topo

Violência contra a mulher

Produtora escreve livro detalhando assédios e inicia #MeToo na música

iStock
Livro está previsto para ser lançado em setembro, nos Estados Unidos Imagem: iStock

Da Universa

31/05/2018 10h59

Depois que denúncias de assédio derrubaram verdadeiros gigantes de Hollywood, chegou a vez da indústria da música. A produtora Dorothy Carvello está escrevendo um livro detalhando dezenas de casos de abuso sexual em gravadoras como a Warner, a Sony e a Universal. 

Com "Anything For a Hit: An A&R Woman's Story of Surviving the Music Industry" ("Tudo por um hit: a história de uma mulher que sobreviveu à indústria da música", em tradução livre), ela se torna a primeira mulher a escrever sobre o assunto depois da era #MeToo. 

Veja também: 

O manuscrito ainda está sob sete chaves e revisores da Chicago Review Press, editora que vai publicar o livro, tiveram que assinar termos de sigilo. O que se sabe é que o ex-diretor da Warner Doug Morris e o vocalista dos Rolling Stones Mick Jagger estão entre os citados – o último, como "chauvinista misógino". 

Dorothy Carvello começou a trabalhar como produtora há mais de 25 anos, na Atlantic Records. "Trabalhando 12 horas por dia e atendendo a todos os telefonemas de Ahmet Ertegun [ex-diretor da gravadora], vi tudo o que acontecia ali", disse, em entrevista à "Variety".

Ela conta que, nos anos 1980, era comuns que DJs fossem subornados com drogas e prostitutas e que magnatas da indústria musical contratassem e promovessem as próprias namoradas. Até que ela própria foi vítima desse abuso. 

"Durante uma viagem de trabalho para Allentown, Ahmet e eu estávamos no bar e ele colocou a mão dentro da minha saia, tentando tirar minha calcinha. Tive que lutar contra ele para que parasse. Um outro profissional da gravadora estava ao nosso lado, assistindo tudo e rindo. Na época, eu tinha 25 anos e ele 64", contou a autora, adiantando uma das histórias do livro.  

O lançamento de "Anything for a hit" está previsto para 4 de setembro, nos Estados Unidos.