menu
Topo

Mães e filhos

Como comprar carrinho de bebê? Veja dicas para não errar na escolha

iStock
Imagem: iStock

Denise de Almeida e Geiza Martins

Da Universa

03/04/2018 04h00

Depois do berço, o carrinho de bebê é um dos primeiros dos grandes itens do enxoval que os pais pensam em comprar. Mas, na hora da escolha, os pais de primeira viagem costumam ficar perdidos entre tantos diferenciais que você nem imaginava que um mero carrinho teria. 

Isso sem contar que o investimento pode ser uma pequena fortuna. Que o diga a produtora Paula Bertola. Aos cinco meses de gestação, ela ainda não fechou sua compra, mas já pesquisou muito. "É tudo muito caro. Procurei milhares de carrinhos, e encontrei de até R$ 2 mil", comenta. Na verdade, há modelos que chegam a custar R$ 5 mil, mas é possível encontrar carrinhos a partir de R$ 300. Qual deles é o ideal para você?

Leia mais

Experiência de mãe

A assistente de marketing Ana Paula Sousa, mãe da pequena Manuela, 7 meses, começou as pesquisas aos seis meses de gestação. "Levei o maior susto quando percebi que não seria uma tarefa fácil: existem dezenas de marcas, com mil e uma funcionalidades! É tipo comprar um carro".

No final, ela decidiu por uma marca conhecida, mas o modelo eleito é "pequeno e sem muitas 'frescuras'”. Depois, com o nascimento de Manuela, veio o segundo desafio: montar e desmontar o carrinho com uma única mão, pois a outra está segurando o bebê. "Se eu pudesse dar uma dica seria justamente isso: testá-lo pra ver como ele se sai nas situações corriqueiras do dia a dia! Nem sempre o modelo mais bonito ou da moda é o mais funcional", alerta.

O peso da escolha

Um item importante a se avaliar é o peso do carrinho: lembre-se que você ainda terá os quilos extras de uma criança ali em cima, para carregar para cima e para baixo. Além disso, você provavelmente terá que dobrar e guardar o carrinho algumas vezes durante o dia. Então, os carrinhos com estrutura feita em alumínio costumam sair em vantagem, por serem mais leves.

É importante checar também se aquele carrinho é para o tamanho do seu filho. Os carrinhos para recém-nascidos geralmente suportam crianças de até 15kg.

Tudo se encaixa?

Antes de comprar, anote cada uma das medidas do carrinho -- com ele aberto e fechado. Não vai ser nada legal você descobrir tarde demais que aquele pequeno trambolho não cabe no porta-malas de seu carro, então é melhor garantir.

A altura do guidão do carrinho também faz diferença na hora do passeio. Alguns modelos têm ajuste regulável do guidão, enquanto outros são fixos. Então é melhor você fazer o “test-drive” na loja, para ver se ele é muito alto ou muito baixo para você. Ninguém merece ficar com dor no punho ou nas costas por conta disso, certo?

Nos primeiros meses do bebê, quando ele ainda é um pouco pequeno para tanto espaço no carrinho, muita gente usa o bebê-conforto acoplado a ele. Mas atenção, se você quer ter certeza que um objeto vai encaixar no outro, o mais recomendado é comprar os dois itens da mesma marca.  

Comprar lá fora: sim ou não?

Fazer enxoval do bebê nos Estados Unidos não é novidade, mas será que vale a pena trazer o carrinho da sua ida à Miami? Se você pretende comprar um modelo top de linha, ele com certeza será mais barato na terra do Tio Sam. Mas você precisa ter em mente que uma caixa com o carrinho de bebê não é lá tão prática de se carregar.

Provavelmente ela será despachada como um item de bagagem seu. Então, se você não está trazendo apenas uma mala e ainda tem peso sobrando na sua franquia de bagagem, sem problemas.

A palavra do médico

Para Vera Valverde, neonatologista do Hospital e Maternidade Santa Joana, o modelo ideal é o que melhor se adeque às necessidades dos pais. Entretanto, há alguns itens que os pais devem observar.

O principal deles é em relação à segurança. Há alguns itens que não podem faltar. São eles: selo de certificação do INMETRO; travas nas rodas do carrinho que não permita mobilidade quando travado; trava de segurança para impedir que o carrinho se feche com a criança dentro; cinto de segurança (de preferência com 5 pontos) com tiras acolchoadas e estabilidade das rodas.

Outros pontos que os pais devem ficar atentos são em relação a conforto, praticidade (tamanho/peso) e também ao tipo de material (escolha um que seja fácil de limpar). Em relação ao conforto do recém-nascido, é preciso pensar num carrinho que permita ficar em uma elevação de no máximo 30 graus, segundo a recomendação da Sociedade Brasileira de Pediatria.

Os pais mais atléticos podem investir em um carrinho de 3 rodas, mas somente após o bebê completar 6 meses. "A vantagem é que permite que os pais façam cooper junto com o bebê. É um carrinho projetado com base mais leve, com estrutura para absorver impacto com rodas de maior diâmetro", comenta.

Todavia, vale lembrar os cuidados básicos com higiene e limpeza. As rodas devem ser sempre higienizadas quando retornar do passeio.

Facebook Messenger

Receba seu horóscopo diário da Universa. É grátis!