menu
Topo

Universa

Tônia transou menstruada em "O Outro Lado"; veja cuidados para fazer igual

Do UOL, em São Paulo

19/01/2018 17h18

Em “O Outro Lado do Paraíso”, Tônia (Patrícia Elizardo) lamentou o fato de ficar menstruada justamente quando acreditava estar grávida de Bruno (Caio Paduan). Triste com a notícia, a ginecologista foi afogar as mágoas nos braços de Zé Victor (Rafael Losso), que conheceu na mesma noite.

Alguns espectadores questionaram o fato de Tônia ter relação sexual durante seu período menstrual e o fato de Zé Vitor ter insinuando fazer sexo oral na médica. A cena foi ao ar na última quinta-feira (18) e nós explicamos, que sim, não há problemas em ter preliminares e nem fazer sexo durante a menstruação.

Veja também

Para a ginecologista Lúcia Alves da Silva, presidente da Comissão de Sexologia da Federação Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia (Febrasgo), a prática não provoca danos à saúde da mulher ou do homem, mas exige cuidados. Confira:

1. Dá para fazer sexo oral? SIM

A prática oral está liberada também durante o ciclo, mas exige proteção. O risco de contaminação é grande nesse caso, já que a possibilidade de ingestão do sangue é alta. Então, lance mão da camisinha feminina e, se preferir, vale ainda usar um absorvente interno para conter o fluxo – desde que não aconteça penetração, ok?

2. Pode usar absorvente interno? NÃO

Ao contrário das esponjas, os absorventes internos são produzidos com um material rígido, que causa desconforto na hora da penetração. Descarte completamente essa ideia.

3. Pode transar com esponja vaginal? SIM

Com a proposta de evitar vazamentos, surgiram no mercado opções de esponjas menstruais. Elas são feitas com um material maleável e, uma vez introduzidas na vagina, funcionam como um tampão, que não provoca incômodo na hora H. “Antigamente, as mulheres, principalmente as profissionais do sexo, usavam algodão. O único cuidado que deve ser tomado na hora de usar qualquer um dos dois, é lembrar de retirá-los imediatamente após a prática sexual para evitar infecções.”

4. Corre risco de engravidar? DEPENDE

A gravidez só é possível quando há ovulação e um endométrio adequado para a fixação do gameta. Quando a menstruação entra em cena, é sinal de que a parede do útero está descamando, uma condição nada receptiva ao embrião. “É o momento em que o corpo volta justamente ao estágio de não-gravidez”, conta a ginecologista. Vale ficar atenta, no entanto, ao uso correto das pílulas anticoncepcionais. Qualquer deslize pode comprometer a barreira de proteção hormonal e provocar surpresas. Se a mulher confundir um sangramento de escape, por exemplo, com a menstruação, a gravidez é possível.

5. Facilita a transmissão de DSTs? SIM

O contágio de doenças sexualmente transmissíveis pode se dar em toda relação sexual sem proteção. Na menstruação, não é diferente. O sangue é mais um elemento de risco, uma via de contágio. “As patologias mais comuns, nesse caso, são HIV, hepatite C e B”, diz a médica. Por isso, o uso de preservativos continua sendo fundamental, como em qualquer situação.

6. O fluxo pode mudar? NÃO

Não existe nenhuma evidência científica que comprove que o fluxo menstrual possa ser prolongado ou reduzido. Qualquer relato envolvendo alterações como essa se trata de experiências extremamente particulares, que não se aplicam à maioria das mulheres.

Facebook Messenger

Receba seu horóscopo diário da Universa. É grátis!

Mais Universa