menu
Topo

Violência contra a mulher


Veja características mais comuns de relações tóxicas, abusivas e saudáveis

Getty Images
As diferenças são sutis, mas é essencial saber a diferença para saber lidar com a situação Imagem: Getty Images

Jacqueline Elise

Da Universa

2019-04-15T04:00:00

15/04/2019 04h00

Sabe aquele amigo ou amiga que frequentemente drena sua energia e te coloca para baixo sem perceber? Ou então aquele namorado ou namorada que sempre implica com alguma insegurança sua, mas diz que "isso significa que eu me importo e gosto de você"? Ter uma relação com uma pessoa tóxica faz mal física e psicologicamente para as pessoas, mas, por conta da sutileza das ações, é um pouco mais difícil de perceber.

É neste ponto onde mora o perigo: relacionamentos tóxicos podem, facilmente, se tornar abusivos. Quem explica isso são Margareth Signorelli, coach de relacionamentos e sexualidade e terapeuta em técnicas de libertação emocional, e Ana Paula Carvalho, mestre em psiquiatria pela Universidade Federal de São Paulo.

"É uma linha muito tênue. O relacionamento tóxico é mais 'leve'. São situações muito sutis, que fazem você se sentir mal, mas não necessariamente são graves. O relacionamento abusivo tem fases que chamamos de ciclo da violência: no começo, a pessoa abusiva é alguém incrível. Depois, tem explosões de raiva, ciúme, controla seu comportamento, mas você acredita que 'provocou' isso. Aí, ela passa a te agredir verbalmente e fisicamente. E há um 'arrependimento', pede desculpas e fica tranquilo por um tempo, depois o ciclo retorna", explica Margareth.

Ana Paula afirma que "toda relação abusiva é tóxica, mas nem toda relação tóxica é abusiva"."Mas relações tóxicas podem evoluir e se tornar abusivas, sim. A diferença entre uma e outra é que um relacionamento abusivo é mais provável de ser enquadrado em algum tipo de crime", diz.

Elas ressaltam que a pessoa envolvida com alguém tóxico ou abusivo precisa sempre estar cercada de outros amigos, colegas e familiares que possam apontar quando esses comportamentos ocorrem, para que ela seja capaz de enxergar a situação e tenha apoio para se afastar de pessoas assim e, em alguns casos, denunciar o outro quando a situação pede que medidas legais sejam tomadas.

Para a Universa, as especialistas citaram cinco situações diferentes e como pessoas em relações saudáveis, tóxicas e abusivas reagem a elas:

1. Ciúme

Relação saudável: O ciúme é tratado como algo comum e que pode ocorrer a qualquer momento e com qualquer pessoa. Nesta relação, a pessoa ciumenta consegue fazer uma autocrítica e falar sobre o assunto calmamente com o par ou amigo para amenizar o sentimento.

Relação tóxica: A pessoa tóxica acredita que o ciúme demonstra o quanto ela realmente ama e valoriza o outro. Por isso, tenta justificar o sentimento desta forma e começa a controlar a vida do parceiro sutilmente.

Relação abusiva: A pessoa abusiva é possessiva, começa a distorcer a situação e a duvidar de tudo e de todos, além de proibir certos comportamentos da outra pessoa --como se a culpa fosse dela. Pode ter crises de raiva e se tornar verbalmente ou fisicamente agressiva.

2. Resolvendo discussões e conflitos

Relação saudável: No momento em que há discordância, pessoas em uma relação saudável entendem que isso é normal e escutam o que o outro tem a dizer, esperam o tempo mais adequado para conversar de cabeça fria, e entendem que precisa haver uma discussão tranquila e empática.

Relação tóxica: As discussões são constantes e a pessoa tóxica usa tudo que o outro disse contra ele, guarda rancor. Ela também costuma fazer comentários maldosos sobre as inseguranças do outro, mesmo estando consciente da situação.

Relação abusiva: A pessoa abusiva nunca admite quando está errada, e se torna violenta quando é confrontada ou questionada. Manipulação psicológica também é possível.

3. Quando você vai sair com outra pessoa

Relação saudável: Cada pessoa tem um acordo com o par ou com os amigos quando o assunto é sair com outras pessoas. Em uma relação saudável, as pessoas respeitam os combinados e não ficam controlando com quem o outro está o tempo todo.

Relação tóxica: A pessoa tóxica fica com ciúme, faz chantagem emocional para que o outro passe, inconscientemente, a se afastar dos amigos.

Relação abusiva: Impede que o outro saia com outras pessoas, obriga a cortar relações, controla tudo que o par ou amigo faz para saber se não está conversando às escondidas.

4. Falar sobre a aparência e a inteligência do outro

Relação saudável: Elogios e críticas fazem parte de qualquer relação. Em um relacionamento saudável, não é preciso forçar para elogiar alguém e as críticas são feitas de forma construtiva, e a outra pessoa está disposta a escutar.

Relação tóxica: Há grande dificuldade por parte da pessoa tóxica de ouvir críticas, mesmo as construtivas. Faz comentários condescendentes e ofensas "mascaradas" na forma de conselhos ou usando a desculpa de que "só diz isso porque se importa". Subestima sua inteligência.

Relação abusiva: A pessoa abusiva constantemente xinga o outro com adjetivos que sabe que farão mal: "burro(a)", "feio(a)", "imbecil", entre outros. Sempre arruma motivo para minar a autoestima do par ou amigo, de formas cada vez mais grosseiras.

5. Seu trabalho

Relação saudável: Há um respeito à carreira alheia, mesmo quando um ganha mais do que o outro. Há um incentivo mútuo para que ambos cresçam em suas respectivas áreas, e valorizam o conhecimento do outro.

Relação tóxica: Constantemente questiona sua capacidade na sua área de trabalho, mesmo que não sejam colegas no emprego, cria intrigas no ambiente que não necessariamente existem para te isolar ou te lesar de alguma forma.

Relação abusiva: Pode impedir o outro de trabalhar contra a sua vontade, controla o que a pessoa faz no trabalho, controla o salário do outro, sabota o par ou amigo para que ele perca o emprego ou tenha algum tipo de prejuízo.