menu
Topo

Relacionamentos

6 atitudes que ajudam a superar o fim de um relacionamento

Getty Images/iStockphoto
Imagem: Getty Images/iStockphoto

Marcos Candido

Da Universa

15/11/2018 04h00

Terminar um relacionamento amoroso não é fácil. Ficam as contas, as memórias, por muitas vezes o ressentimento e quase sempre uma tristeza. Apesar disso, existem maneiras para driblar esse momento tão difícil. Confira algumas dicas abaixo.

Veja também

Aceite o período de luto: é normal

Sério. Vai melhorar. Agora, é difícil de acreditar naquela máxima de que “o tempo cura tudo”. Mas, acredite, cura. E também é normal se sentir para baixo com o término. “Não seja tão dura consigo mesma. Um relacionamento, na maioria das vezes, é uma decisão conjunta. Não se culpe pelo término”, explica a psicóloga Naiara O. Mariotto. “Nesta fase, é essencial contar com o apoio dos amigos e de familiares de confiança”. O importante é respeitar o seu tempo.

Bloquear o ex é uma solução?

Essa decisão é uma das mais complicadas. Bloquear o ex das redes sociais e do WhatsApp é uma boa tática para enfrentar esse momento? Depende. Para Mariotto, no término amigável é possível manter o canal aberto com a outra pessoa, tranquilamente. Em situações na qual o rompimento não foi agradável, afastar-se e ter menos notícias por meios das redes sociais por algumas semanas pode ajudar. Procure se distrair e não fique stalkeando a vida da pessoa no Facebook. 

Use o ‘botãozinho mágico do silenciar’

Caso o bloqueio pareça muito rude para você, a dica é usar o botão “silenciar”, disponível em plataformas como Facebook, Instagram e Twitter. O ex não é bloqueado, mas você não lê mais mensagens da pessoa na sua linha do tempo. Basta ir ao perfil da pessoa e acionar o silenciamento. Aliás, a opção é sugerida pelo Facebook assim que o casal retira o “status de relacionamento” do perfil.

Sair pegando geral por aí é uma solução?

Especialmente em relações mais longas, é possível que se tenha vontade de usufruir da nova liberdade e acionar o Tinder loucamente. Pode ser uma solução, mas é bom fazer uma análise pessoal e não associar os novos pretendentes ao caso anterior. “O desafio é superar aproveitando novas oportunidades para fazer novas escolhas. Nesse quesito, os sites e aplicativos de relacionamento podem ajudar a encontrar alguém que seja mais compatível com você”, sugere Marina Simas, psicóloga especializada em relacionamentos. Se você quer curtir novas pessoas, ótimo. Mas não se force a sair com alguém só por "vingança". 

Preocupe-se com sua vida, não com a do ex

A partir de agora, vocês trilham caminhos diferentes. Não inspecionar os passos do (a) ex e não se contorcer com cada passo que ele (a) dá na vida é um boa tática para você voltar a se conhecer melhor. “Uma das partes mais difíceis é lidar com a ideia de abandono, rejeição e insegurança. Muitas pessoas têm medo de enfrentar a vida sozinhas, mas esse é um fato que deve ser trabalhado internamente para se manter feliz”, explica Simas.

Faça aquilo que você não se sentia confortável a fazer. Ou tente algo totalmente novo

Dedique-se a si mesma: invista em viagens, passatempos, esportes e experiências que, por algum motivo, no relacionamento antigo você não fazia acontecer. “Tente, por exemplo, um curso aqui ou no exterior para fortalecer o lado profissional ou busque realizar sonhos, projetos pessoas e atividade física em geral. Sempre há uma novidade que vai agregar prazer e fortalecimento”, diz Simas.

(Fonte: Naiara O. Mariotto, psicóloga terapeuta cognitivo comportamental com especialidade em relacionamentos em e equilíbrio emocional; Marina Simas, Mestre em Psicologia Clínica; título de especialista pelo CRP em Psicologia Clínica e em Psicologia Organizacional; especialista em Sexualidade Humana e especialista em Terapia de Casal e Família. Cofundadora do Instituto do Casal, atua como Terapeuta de Casais, de família, individual e consultora do Par Perfeito).