menu
Topo

Moda

Mãe de Nara Almeida realiza sonho da filha e diz: "Os ataques continuam"

Arquivo Pessoal
Eva ao lado da foto da filha, na loja que inaugurou no bairro do Brás Imagem: Arquivo Pessoal

Amanda Serra

Da Universa

27/09/2018 04h00

Quatro meses após a morte da youtuber e influenciadora digital Nara Almeida, que morreu aos 24 anos vítima de um câncer raro no estômago, Eva Almeida, 44, a mãe da jovem, se mudou para São Paulo com a família e inaugurou o Ateliê da Nara, conforme tinha combinado com a filha. A loja fica no bairro do Brás, centro comercial popular da capital.

"Os ataques ainda continuam nas redes sociais e mesmo ao vivo. Outro dia, uma mulher passou na frente da loja e disse: 'Essa aí que está ganhando dinheiro com a filha morta!'. Falam isso sem saber da minha vida. Trabalho para pagar aluguel e as pessoas acham que estou rica, me pedem ajuda. É difícil, viu! Se publico uma foto dela, é porque demorei 24 anos para falar com ela. Se não posto é porque sou desnaturada", lamenta Eva, que tem contado com a ajuda da caçula Beatriz,19, para divulgar as roupas no Instagram.

As peças custam de R$ 29,90 a R$ 120 e foram escolhidas de acordo com o estilo de Nara. "Queremos que tudo lembre ela, era um sonho dela ter essa loja." 

Veja também

"Tento mentalizar que ela está em uma viagem, como ela dizia que faria. Não penso que ela morreu porque isso me traz dor", conta Eva, que decorou o interior do espaço com imagens da filha, conforme tinha dito que faria em entrevista anterior à Universa

Para iniciar o negócio, que faz questão de ressaltar ser um projeto da filha, Eva investiu cerca de R$ 25 mil, após vender a casa onde morava em Roraima. "Tive que recomeçar do zero. Durante os seis meses que passei ao lado dela fiquei sem trabalhar. Mas a Nara disse tanto que ia dar certo, já deu, está dando", diz a lojista, que trabalha das 5 às 16 horas. 

Frequentando uma igreja evangélica na Zona Leste De SP, Eva segue no processo de recuperação após a morte da garota, com quem teve pouca convivência. "O Ateliê é algo que ela me deixou. É como se estivesse aqui comigo. Era o sonho dela para nós. Mesmo doente, ela dizia: 'Vamos fazer fotos, você vai vender muito", lembra. "As pessoas que criticam não sabem das nossas conversas", completa a mãe da jovem.

Seguindo os passos da irmã

Arquivo Pessoal
A irmã de Nara, Beatriz e a mãe, Eva Imagem: Arquivo Pessoal

Beatriz não tem a mesma desenvoltura da irmã, de quem ainda lembra e chora ao falar, mas está se esforçando para ajudar no negócio da família. 

"Ainda estou aprendendo a me maquiar, me vestir melhor, me inspirando na Nara, mas não seguindo os passos dela. Estou fazendo [fotos] para ajudar minha mãe", diz ela, ainda tímida. 

"Todo dia olho o Instagram dela para ver os modelos de roupas que ela usava e assim o ateliê ficar mais a cara dela. A gente quer manter a lembrança dela, que tenha a marca dela, que seja o estilo Nara Almeida. Sinto muita saudade", afirma a adolescente, que teve pouco tempo de convivência com a irmã.

Facebook Messenger

Receba seu horóscopo diário da Universa. É grátis!