menu
Topo

Beleza

Cultive a moita: sem depilação, você economiza R$ 24 mil em dez anos

Istock
Deixar os pelos crescerem pode ser sinal de liberdade e de economia Imagem: Istock

Cíntia Marcucci

Colaboração para Universa

05/08/2018 04h00

De alguns anos para cá, cada vez mais mulheres discutem o quanto certos rituais de beleza femininos são uma escolha ou imposições sociais. Os pelos, claro, são um dos pontos mais polêmicos dessa discussão - e tirá-los ainda custa bem caro!

O direito de não se depilar está em alta. Foi até tema de reportagem do site da Vogue norte-americana, que deu várias razões pelas quais a chamada “brazillian wax” (mais conhecida por aqui como depilação cavada ou completa) deve ser deixada de lado em favor das moitas bem cultivadas.

Veja também

Chamaram até Samantha Jones, de Sex And The City, de datada por nunca perder o dia de entrar na cera. Mais atuais são Ilana Glazer, de Broad City - Cidade das Minas, ou a Caroline (Gaby Hoffmann) de Girls, que mostraram pelos mais livres nas séries de TV.

Depilação vira poupança

Quem resolver desistir da cera quente pode inclusive conseguir juntar uma boa poupança. Para depilar axilas, pernas, virilha completa, buço e fazer as sobrancelhas o valor médio vai de R$ 170 a R$ 200 (preços consultados em agosto de 2018, em São Paulo). Se essa rotina for feita uma vez ao mês, arrancar todos os pêlos do corpo custa a uma mulher R$ 2,4 mil ao ano. Em dez anos, a economia chegaria a R$ 24 mil reais, além de algumas horas de dor a menos.

Para quem decidir deixar os pelos crescerem, vale investir em esfoliação para desencravar os pelos durante a transição, deixar as regiões respirarem sempre que possível (roupas de fibras naturais são melhores) e investir em uma tesourinha para aparar pelos, principalmente da região pubiana e das axilas.

Prepare-se para as críticas

Mulheres que resolvem não aderir a algum padrão social ou de beleza acabam sofrendo críticas. Aconteceu com a atriz Bruna Linzmeyer que mostrou axilas e virilha com pelos em um ensaio com o fotógrafo Gleeson Paulino e alguns anos atrás quando Nanda Costa posou para a revista Playboy. Nos anos 1980, Claudia Ohana também causou quando estampou as páginas da revista com mais pelos no corpo do que o habitual. 

Além das brasileiras, a cantora Miley Cyrus, as modelos Gigi Hadid e Paris Jackson (filha de Michael Jackson), Lourdes Maria e sua mãe, Madonna, já assumiram as axilas não depiladas.

A moda vem e volta: os pelos já estiveram em alta e foram sinônimo de protestos no fim dos anos 60 e 70, quando era mais comum ver mulheres que não se depilavam, principalmente na Europa. Os anos 90 e o início dos 2000, com o ápice do consumo e dos padrões de beleza uniformes e globalizados disseram que os pêlos não eram mais aceitos. Atualmente a ideia é fazer o que você quiser, do jeito que você se sentir bem. Bem melhor que qualquer moda.

Facebook Messenger

Receba seu horóscopo diário da Universa. É grátis!