Diversidade

Pelo 2º ano consecutivo, a Casa Branca de Trump ignora mês do orgulho LGBT

iStock
Nos Estados Unidos, o mês do orgulho LGBT é comemorado em junho, para coincidir com o aniversário da Revolta de Stonewall, que aconteceu em Nova York, no final do mesmo mês de 1969 Imagem: iStock

Da Universa

03/06/2018 14h55

Pelo segundo ano consecutivo, a Casa Branca de Donald Trump permaneceu silenciosamente ensurdecedora em uma questão em particular: o mês do orgulho LGBT

Nos Estados Unidos, a data é comemorada durante junho, para coincidir com o aniversário da Revolta de Stonewall, que aconteceu em Nova York, no final do mesmo mês, em 1969. Na ocasião, clientes de um bar LGBT da cidade, com o nome de Stonewall Inn, resistiram à violência da polícia - naquele tempo, a comunidade gay era constantemente reprimida. Então, uma multidão se reuniu na rua, em frente ao bar, encurralando a polícia. A tropa de choque foi convocada, e o cenário virou uma praça de guerra, com confrontos violentos que duraram por seis dias. 

Veja também

Enquanto a Casa Branca não se manifesta, o Departamento de Estado do país emitiu uma mensagem positiva. O secretário de Estado Mike Pompeo fez referência aos países onde as pessoas queers e transgêneros são alvo de preconceito, mas não deu nomes específicos. 

“As pessoas LGBTI - como todas as outras - devem ser livres para desfrutar de seus direitos humanos e liberdades fundamentais, incluindo a liberdade de expressão, reunião pacífica e associação, sem medo de represálias”, disse Pompeo no comunicado. 

Em vez de reconhecer o importante trabalho e contribuições dos americanos LGBTQ durante este mês, a Casa Branca emitiu ações presidenciais para vários outros grupos e pessoas. De acordo com a Casa Branca, junho é o Mês ao Ar Livre, o Mês Nacional do Oceano, o Mês Nacional da Casa, o Mês da Valorização da Música Afro-Americana e o Mês Nacional da Herança do Caribe. 

Clinton, Bush e Obama

Bill Clinton foi o primeiro presidente a reconhecer o mês do orgulho, enquanto George W. Bush não o reconheceu (e ativamente fez campanha contra o casamento gay). Já Barack Obama, esse foi o primeiro presidente a reconhecer oficialmente o mês comemorativo. Agora, com Trump na Casa Branca, parece que a tendência se inverteu mais uma vez.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está fechada

Não é possivel enviar comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

O UOL está testando novas regras para os comentários. O objetivo é estimular um debate saudável e de alto nível, estritamente relacionado ao conteúdo da página. Só serão aprovadas as mensagens que atenderem a este objetivo. Ao comentar você concorda com os termos de uso. O autor da mensagem, e não o UOL, é o responsável pelo comentário. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba seu horóscopo diário da Universa. É grátis!

Da Universa
Da Universa
Da Universa
Da Universa
Da Universa
Da Universa
DW
Blog da Morango
Da Universa
ANSA
ANSA
Da Universa
Da Universa
Da Universa
Da Universa
Da Universa
Da Universa
Blog da Morango
Da Universa
Da Universa
Da Universa
Da Universa
Da Universa
Da Universa
Da Universa
Da Universa
Blog da Morango
AFP
Da Universa
BBC
Da Universa
Da Universa
Da Universa
Blog da Morango
Da Universa
Da Universa
Da Universa
Da Universa
ANSA
Da Universa
Da Universa
Da Universa
Da Universa
DW
ANSA
Blog da Morango
Da Universa
BBC
Da Universa
Da Universa
Topo