menu
Topo

Direitos da mulher

"Não é fácil mexer com homem que tem dinheiro", diz Luiza Brunet sobre o ex

Lucas Lima/UOL
Luiza Brunet segue na luta Imagem: Lucas Lima/UOL

Da Universa

31/05/2018 18h48

Decidida a recorrer da decisão da Justiça na ação de reconhecimento de união estável movida contra o empresário Lírio Parisotto, Luiza Brunet não se deixa abalar e garante estar tranquila. "Não é fácil mexer com homem que tem dinheiro (ele tem uma das maiores fortunas do mundo, segundo a Forbes), mas vou seguir para o próximo passo", disse a ex-modelo à Universa, referindo-se à sequência do processo e a indenização de R$ 1 milhão que foi condenada a pagar. 

Os advogados de Lírio exigem que a empresária pague esse valor dos honorários para o escritório de advogacia. O dinheiro corresponde a 10% do valor da causa, definido em R$ 10 milhões pelo juiz Leonardo Ribeiro, da 4ª Vara de Família, conforme informação de Mônica Bergamo. Mas a empresária e seus advogados entrarão com um novo recurso para que não tenham que arcar com estes custos. "Essa decisão não se sustenta. A prova dos autos é favorável a Luiza", afirmou Pedro Neto, advogado da ex-modelo.

Veja também

"Ele foi acusado e condenado por lesão corporal (um ano em regime aberto e dois sob dois anos sob vigilância e cumprindo serviço comunitário durante 12 meses) e continua dizendo que é mentira. Não sei como consegue olhar no espelho ou dormir sem tomar remédio. Uma decepção. Um homem que é pai de família, tem mãe idosa", lamentou Luiza, que além de um olho roxo, teve quatro costelas quebradas após ser agredida pelo ex em Nova York (EUA), onde estavam. Depois da denúncia, a empresária se engajou na luta contra a violência doméstica e aos ataques que sofre de haters na internet.

Em sua página do Instagram, Lírio negou as acusações e afirmou ser "vítima". 

"Não devemos temer se temos a verdade. Jesus Cristo foi crucificado,nem por isso sucumbiu. Importante é não baixar a cabeça e não se contaminar com meus dúzia de calúnia , que por acaso e crime. Portanto sigo na decisão que tomei e andando pra frente de cabeça erguida com sabedoria e beleza", escreveu Luiza em seu perfil no Instagram.

"Não vou deixar de lutar"

"Foram cinco anos de união estável. Há provas. Públicas (só procurar pelo Google). E também as que estão no processo. Como fiz em toda minha vida: jamais, jamais abriria mão dos meus direitos. Neste caso, é o meu direito à união estável. Previsto por lei, pela ética e que incomoda quem não quer ver o mundo mais justo. Ou quem não entendeu que as mulheres vivem um outro momento dentro da sociedade.

Tenho uma história. Não exercer meu direito seria desonrar minha história. Como posso incentivar as mulheres a lutar se não fizer o mesmo? Jamais. Vivemos num país onde mulheres são violentadas de todas as formas. Como eu fui. Feminicídio altíssimo. Não largarei jamais essa bandeira. Vou lutar pra sempre contra essa situação. Ainda que tenha medo das ameaças que me foram feitas. A que ponto chegamos... Ainda que o preconceito tente distorcer minha luta.

Mas sou neta de índios, amigos. Meu sangue é de mulher guerreira. E se Deus me deu essa missão e esse propósito, Ele me dará forças para suportar as agressões. Construí minha carreira com muito trabalho. Esse legado estará em breve num filme. Mas, sinceramente, espero que ele esteja mesmo é na atitude das mulheres agredidas. Que elas denunciem. Façam como eu, busquem todos, todos os seus direitos. Não vou deixar de lutar jamais. Não vamos deixar de lutar jamais", desabafou a empresária nas redes sociais.

Facebook Messenger

Receba seu horóscopo diário da Universa. É grátis!