menu
Topo

Pausa

Pare, respire e olhe o mundo ao redor

Harry e Meghan estão devolvendo quase R$ 35 milhões em presentes; entenda

Steve Parsons/AP
O príncipe Harry e Meghan, duquesa de Sussex Imagem: Steve Parsons/AP

da Universa, em São Paulo

31/05/2018 10h30

Pouco mais de um mês antes do "sim", o príncipe Harry e a duquesa de Sussex, Meghan, anunciaram que não gostariam de receber presentes ao subirem ao altar.

Segundo o próprio casal real, através de seus porta-vozes, eles prefeririam que convidados e súditos destinassem seus atos de generosidade a quaisquer umas das sete instituições de caridade inclusas em sua lista de casamento.

Veja também 

No entanto, parece que houve quem perdesse o recado. Isto porque, de acordo com o jornal inglês "The Express", funcionários do palácio de Kensington estão trabalhando duro para devolver cerca de R$ 35 milhões em lembrancinhas reais — sejam elas dadas por empresas, famosos ou até cidadãos comuns do reino.

O motivo por trás das devoluções

Não é falta de gentileza: Harry e Meghan não podem aceitar presentes em condições que fujam ao protocolo real. Ou seja, os noivos não puderam aceitar presentes de empresas para que suas imagens não sejam exploradas, segundo o palácio.

Um exemplo da questão? A empresa Bags of Love, segundo o jornal, teria enviado um conjunto de biquíni e sunga personalizado para que os dois usassem em sua lua de mel.

Já os presentes vindos de pessoas físicas só são bem-vindos se os membros da família real conhecerem o doador pessoalmente, por razões de segurança.

Por isso, líderes e figuras públicas aderiram ao pedido do casal e à lista de caridades apoiadas pela Royal Foundation. O primeiro-ministro canadense Justin Trudeau, por exemplo, anunciou uma doação de quase R$ 150 mil à organização filantrópica Jumpstart em nome dos novos duques de Sussex.

Mais Pausa