menu
Topo

Direitos da mulher

Empregadores não aprenderam nada com movimento Me Too, diz estudo

Kenzo Tribouillard/AFP Photo
Imagem: Kenzo Tribouillard/AFP Photo

Da Universa

16/05/2018 16h53

Desde que nasceu, há cerca de seis meses, o movimento #MeToo incentivou a denúncia de diversos casos de assédio sexual e discriminação de gênero, especialmente no mercado de trabalho.

Mesmo com todo esse impacto, um estudo norte-americano revelou que empresas e lideranças corporativas não estão dispostas a rever suas atitudes. 

Veja também: 

Apenas 32% dos entrevistados pela pesquisa, publicada pela American Psychological Association (APA), notaram alguma mudança positiva em direção à igualdade entre homens e mulheres. 

Dentre as ações reportadas pelos funcionários, no entanto, as mais frequentes são recados da empresa lembrando a política interna contra assédio sexual.  

Ações mais efetivas, como palestras e treinamentos direcionados ao tema, apareceram em apenas 10% das respostas.

Correção do regulamento interno e mais rigidez ao tratar casos de abuso sexual, abordagem mais humana na área de recursos humanos às vítimas, por exemplo, foram identificadas por menos de 8% dos trabalhadores entrevistados.

"O movimento #MeToo deu aos líderes empresariais a oportunidade de finalmente tomarem uma ação real, ajudando a eliminar um problema de gerações. Evitar o assunto é ruim para o bem-estar dos funcionários e da empresa", defende David W. Ballard, diretor da APA. 

Facebook Messenger

Receba seu horóscopo diário da Universa. É grátis!