menu
Topo

Mulheres inspiradoras

Ivone Lara: negra, mulher, sambista. Conheça 10 fatos sobre a artista

false
Dona Ivone Lara

Da Universa

17/04/2018 11h11

Dona Ivone Lara desafiou o machismo no samba nos anos 1950 e 1960 -- ela conquistou espaço e espalhou sua mensagem com sua música. Ivone, em 2015, entrou para a lista das dez grandes mulheres que marcaram a história do Rio. Conheça dez fatos sobre a artista, que morreu no Rio de Janeiro, aos 97 anos.

Pioneira no samba

Ivone Lara foi a primeira mulher fazer parte da ala de compositores de uma escola de samba. Em um ambiente essencialmente masculino, a artista conquistou seu espaço e foi a primeira sambista a criar um samba-enredo.

Temia a rejeição

Apesar de ter autonomia para criar as próprias composições, Ivone Lara não as assinava. A artista, com medo de ser rejeitada por ser mulher, passava as músicas para colegas sambistas homens. 

Primo assinava as músicas

O principal artista que assumia as músicas de Ivone era o próprio primo da sambista. Ele gravava e lançava as músicas, enquanto ela acompanhava, de longe, a reação do público.

Ficou órfã de pai e mãe aos 12 anos

O pai da artista morreu quando ela tinha apenas 3 anos, enquanto a mãe se foi aos 12. Foi nessa idade, também, que Ivone escreveu sua primeira música, "Tiê Tiê", inspirada em um pássaro. A expressão do título era usada pela avó, de origem moçambicana — e a sua adoção foi a maneira que a sambista encontrou de homenageá-la.

"Tiê Tiê" levou 40 anos para ser gravada 

Por ser mulher, a sambista não tinha espaço para gravar. O machismo fez com que se passassem 40 anos entre a composição da música ‘Tiê Tiê’ até a sua gravação, em 1974. Depois disso, estourou. O samba compôs o disco coletivo ‘Quem samba fica? Fica’, lançado no mesmo ano. 

Veja também

Compôs samba-enredo de Carnaval

Em 1965, Ivone foi convidada a compor o samba-enredo tema da escola Império Serrano, que homenagearia os 400 anos do Rio de Janeiro.

Enfrentou o acidente do filho e a perda do marido no mesmo ano

Perdas bruscas e momentos difíceis fizeram parte da vida de Ivone. Em 1975, o marido, Oscar Costa, sofreu um infarto fulminante após receber a notícia de que o filho do casal, Odir, havia sofrido um acidente de carro.

Ganhou o 'Dona' ao se tornar um dos maiores nomes da MPB

Ivone Lara não se tornou Dona Ivone Lara por causa da idade. O pronome de tratamento foi concedido à artista devido a sua importância na história da música brasileira.

Se tornou enredo da Império Serrano

No Carnaval de 2012, a mesma escola que recebeu o talento de Dona Ivone Lara criou um samba-enredo em homenagem a ela. A Império Serrano desfilou na avenida sob o enredo "Dona Ivone Lara: O Enredo do Meu Samba".

Formou-se em enfermagem e trabalhou com Nise da Silveira

Dona Ivone formou-se em enfermagem com especialização em terapia ocupacional. Além do samba, a artista atuou na área até se aposentar, em 1977. Depois disso, trabalhou em hospitais psiquiátricos -- foi quando conheceu a médica psiquiatra Nise da Silveira.