Violência contra a mulher

MC Carol fala de violência que sofreu do ex: "Estava decidido a me matar"

Reprodução
A funkeira de Niterói foi agredida na madrugada de quarta-feira, 4, na própria casa, pelo ex. Imagem: Reprodução

Mariana Araújo e Natacha Cortêz

da Universa, em São Paulo

04/04/2018 09h48

MC Carol chegou às 7 horas da manhã desta quarta-feira, 4, na 76ª Delegacia de Polícia de Niterói. A funkeira de 24 anos foi fazer um boletim de ocorrência para registrar a violência que sofreu do ex-namorado, Alexsandro Oliveira, na última madrugada.

Segundo Carol, ele teria invadido a casa da cantora perto das 4 horas da manhã, enquanto ela dormia, decido a matá-la e portando um facão. O homem foi preso em flagrante, mas não sem antes ameaçar a vítima de morte e agredi-la verbal e fisicamente. "Ele me jogou no chão, me bateu na cara, puxou meu cabelo, chegamos a travar uma luta e cortei os dedos por causa da arma que ele carregava. Foi a primeira vez que lutei pela minha vida contra um homem com um facão na mão", contou à Universa na manhã desta quarta. 

Veja também

Foi a primeira vez que lutei pela minha vida contra um homem com um facão na mão.

Por sorte, Carol não estava sozinha. Danilo dos Santos, um amigo de longa data, também dormia na casa. Assim que o ex-namorado da cantora invadiu o lugar, Danilo escapou para chamar por socorro. Voltou dez minutos depois, com a polícia. 

"A gente dormia quando ele chutou a porta com a faca na mão. Acordamos no susto. Ele estava visivelmente alterado e foi na direção da Carol, pegou no cabelo dela e começou a agredi-la. Bateu no rosto dela, bateu no peito dela. Neste momento, ele falou que não iria fazer nada comigo. Como achei que eu podia escapar, corri para pedir ajuda. Fiquei desesperado", afirma a testemunha. 

* As fotos acima foram postadas por MC Carol em sua conta no Instagram minutos depois do episódio de agressão sofrido por ela. "Hoje pela primeira vez apanhei de um homem. (...) E o álibi dele é que eu estava postando videos e fotos na piscina! Se eu sinto vergonha? Não. Porque a gente nunca sabe o bicho disfarçado que pode entrar na nossa vida! Denuncie sempre!", escreveu. 

Danilo contou ainda que a cantora o defendeu. "Ele queria mesmo era saber da Carol, mas teve um momento em que ele olhou pra mim... E ela falou: 'não, ele não tem nada a ver com isso'. Foi a [oportunidade] que eu tive. Quando eu saí, sem querer bati o portão. Eu chamava por ela, mas ela não respondia, então passaram várias coisas pela minha cabeça... Eu gritava por socorro, foi horrível”.

Quando o amigo retornou, Carol havia conseguido se trancar no banheiro, mas o ex continuava na casa. "Os policiais não queriam entrar assim, estavam ligando não sei para quem. Eu perguntei: ‘já que vocês não podem arrombar a porta, eu posso?’. Daí, num momento de desespero, com a força que não sei de onde eu tirei, arrombei o portão da garagem. Do vidro, vi uma sombra dele e apontei: ‘ele está ali’. Foi então que ele apagou a luz, mas os policiais logo gritaram: 'mão na cabeça’".

"Botei cerca elétrica no portão e correntes na janela pra me proteger"

De acordo com Carol, há alguns meses o ex-companheiro já a ameaçava.

"Na verdade, desde janeiro deste ano, quando nos separamos de vez. Eu tinha medo, por isso botei cerca elétrica no portão e correntes nas janelas para me proteger. O ciúme dele era desmedido. Ele viu que dessa vez não tínhamos volta mesmo e acabou fazendo isso, decidiu que iria me matar. Estive esse tempo todo num relacionamento abusivo e demorei para acordar."

No depoimento que prestou à policia, a cantora relatou que o agressor se dizia motivado pelas fotos e vídeos que ela estava postando nas redes, especificamente as de momentos na piscina. "Ele achava que poderia descontar o ciúme que tinha das fotos em mim."

Estive esse tempo todo num relacionamento abusivo e demorei para acordar.

Ao prestar a queixa, Carol soube que o ex irá responder apenas por lesão corporal. "Para mim foi tentativa de homicídio. Ou melhor: feminicídio! Sem falar que se enquadra em violência doméstica também. Dizer que foi apenas 'lesão corporal' é diminuir o que aconteceu comigo."

Entre idas e vindas, a cantora se relacionou com o agressor por nove anos. Em uma das separações, em agosto do último ano, Carol chegou a entrar com o pedido de medida protetiva contra ele, mas desistiu no meio do processo. Desta vez, ela faz questão de seguir com a medida. "Quero, e preciso, me sentir segura."

Para mim foi tentativa de homicídio. Ou melhor: feminicídio!

Em 2017, Carol falou à Universa sobre o relacionamento abusivo que vivia

"Ele me pedia para largar a carreira"

"A gente ia casar no fim de 2017. Pelo menos esse era o plano. O que acabou com o nosso relacionamento foi o ciúme dele. O Alexsandro não era um machista completo, era machista quando se tratava de ciúmes, de posse. No mais, era um bom companheiro, me ajudava com os trabalhos da casa e era um ótimo amigo.  Essa coisa de ciúmes é uma parada que vivi por muitos anos no meu casamento. No começo do nosso namoro, eu só cantava em comunidade e de madrugada e, nessa época, o Alexsandro passava dos limites. Daí eu evitava levar ele nos meus shows pra não ter dor de cabeça."

Carol continua: "Teve época em que ele escondia minhas coisas pra eu não sair de casa. Até desodorante e perfume ele chegou a esconder. Em dia de show, tudo meu desaparecia. Pra você ter uma ideia, já me apresentei com sapato trocado. Era muita coisa que eu tinha que engolir. Pra tentar me convencer, eu pensava: com o tempo ele vai mudar. Mas nunca mudou".

Até pedir para a cantora largar a carreira o ex fez. "Ela insistia: ou eu parava de cantar nos bailes ou passava a cantar na igreja. Quando dei por mim, as coisas foram tomando proporções que eu não imaginava. Ainda bem que fui forte e não me deixei abalar pela pressão. Ele insistia e dizia que ia respeitar meu trabalho e minha liberdade, mas as promessas não duravam. Quando fiz “The Luck Ladies” [reality exibido pela Fox Life Brasil em 2015], a produção do programa permitia que ele fosse me visitar, mesmo em confinamento. Era isso ou ninguém ia ter paz."

"Ser feminista é ser livre; e eu não era mais"

"As pessoas falam que ciúme é coisa boba, que todo casal passa por ele, mas de coisa boba em coisa boba, a gente esgota e deixa de se sentir a gente mesma. Foi o que aconteceu comigo. Ser feminista é ser independente, é ser livre. E eu não tava conseguindo ser livre nesse casamento. Uma hora caiu a minha ficha: como posso cantar tudo o que canto, o feminismo todo, e passar por isso?! Por tanto abuso!" 

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

O UOL está testando novas regras para os comentários. O objetivo é estimular um debate saudável e de alto nível, estritamente relacionado ao conteúdo da página. Só serão aprovadas as mensagens que atenderem a este objetivo. Ao comentar você concorda com os termos de uso. O autor da mensagem, e não o UOL, é o responsável pelo comentário. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba seu horóscopo diário da Universa. É grátis!

Da Universa
Da Universa
Da Universa
AFP
Da Universa
Da Universa
Da Universa
Da Universa
Da Universa
AFP
Da Universa
Da Universa
Da Universa
Bloomberg
Da Universa
Da Universa
Da Universa
Da Universa
Da Universa
Da Universa
EFE
Da Universa
Da Universa
Da Universa
BBC
BBC Brasil - Internacional
Da Universa
Da Universa
DW
Da Universa
Da Universa
Da Universa
BBC
EFE
Da Universa
Da Universa
Da Universa
Da Universa
Da Universa
BBC
DW
Da Universa
Violência contra a mulher
Da Universa
AFP
Da Universa
EFE
Da Universa
Da Universa
Da Universa
Topo