menu
Topo

Violência contra a mulher


Empresa russa que lançou perfume chamado "Assédio Sexual" pede desculpas

Reprodução/Instagram
Nimerè Parfums é criticada por lançamento do perfume "Sexual Harrassment"; CEO pede desculpas Imagem: Reprodução/Instagram

Da Universa, em São Paulo

2019-03-23T12:33:21

23/03/2019 12h33

Em 2018, uma perfumaria russa chamada Nimerè Parfums gerou revolta ao dar o nome de um de seus produtos de "Sexual Harrassment" ("assédio sexual", em inglês). Já conhecida por nomear seus produtos de forma excêntrica -- alguns dos exemplos são os perfumes "Sangue Cigano", "Intrigas de Cortesãs" e "Tentação de Winsdor" --, a Nimerè passou dos limites com o mais recente lançamento e gerou revolta entre os consumidores.

O CEO da empresa, Nikolay Eremin, usou a conta da perfumaria no Instagram para se desculpar. Ele afirma que "meu erro foi não pensar nas vitimas reais no momento em que dei este nome, nas pessoas que realmente passam por essa tragédia". Além disso, disse que, na hora, só pensou em sua "liberdade criativa e no ego".

Eremin conta que não fazia ideia das estatísticas tão altas de assédio sexual ao redor do mundo -- só no Brasil, de acordo com o Datafolha, 42% das mulheres foram vítimas -- e admite que estava errado. "Eu poderia remover silenciosamente o perfume das prateleiras, mas não quero fazer isso. Eu sou o culpado, eu estava errado. Peço desculpas a todos que machuquei".

No Facebook, o CEO afirmou que o produto será renomeado e voltará às lojas em breve. "Eu também queria agradecer a todos que disseram que amam esse perfume e pedem para mantê-lo. Obrigado! A fragrância viverá com um novo nome".