menu
Topo

Direitos da mulher

Justiça de Israel multa rádio religiosa por excluir mulheres em transmissão

AFP
Mulheres judias fazem prece pela manhã no Muro das Lamentações, na Cidade Velha de Jerusalém Imagem: AFP

21/09/2018 12h04

A corte do distrito de Jerusalém condenou uma emissora de rádio ultraortodoxa ao pagamento de uma multa de 238 mil euros por excluir mulheres em suas transmissões, informou nesta sexta-feira o Centro de Ação Religiosa de Israel (IRAC, em inglês).

"Esta decisão é uma base importante na batalha contra a discriminação e a exclusão das mulheres. Estabelece precedentes para o sério tratamento dos casos de exclusão e a compensação aos prejudicados", declarou a diretora-executiva do IRAC, Anat Hofman, em comunicado.

Veja também


A sentença ditada ontem contra a emissora "Kol BaRama" corresponde à primeira ação coletiva sobre direitos civis e discriminação de gênero apresentada em Israel.

"Kol BaRama" não incluiu nenhuma voz de mulher durante seus dois primeiros anos de emissão, desde que foi criada em 2009, e diante desses fatos, o IRAC e o escritório de advogados Asaf Pink apresentaram uma denúncia em nome das organizações Kolech e do Fórum de Mulheres Religiosas.

A Suprema Corte opinou que a "Proibição da Discriminação deveria ter uma interpretação mais ampla, e que a exclusão das mulheres no domínio público é ilegal e prejudica tanto a igualdade como a liberdade de expressão destas mulheres".

A quantia em dinheiro, um milhão de shéqueles, será transferida a um fundo de ação conjunta para ser "distribuída em programas de empoderamento de mulheres religiosas", anunciou o IRAC.
 

Facebook Messenger

Receba seu horóscopo diário da Universa. É grátis!