menu
Topo

Relacionamentos

Você está em uma relação por comodidade?

iStock Images
Imagem: iStock Images

As pessoas são capazes de se acostumar com tudo, até mesmo com aquilo que não lhes faz bem. A força do hábito, a rotina, a convivência e o medo de novidades, entre outros fatores, fazem com que relações se arrastem por anos e anos. Identificou-se? Responda o teste proposto pela terapeuta de casal Triana Portal e descubra se você pode (e quer) dar uma sacudida no romance

  1. 1010

    Qual dessas palavras descreve melhor o relacionamento:

  • Sinal verde

    O relacionamento vai bem. Você está feliz, tranquila e entende que todas as relações sofrem flutuações, pois não existe relacionamento perfeito nem nos contos de fadas. A base é sólida, há desejo, carinho e a preocupação de alimentar a relação, se adaptar, ceder, ser altruísta. Você é madura e já entendeu que aceitar os defeitos do outro e valorizar as qualidades são atitudes essenciais para o bom funcionamento de qualquer relação.

  • Relacionamento dá trabalho, é necessário cuidar!

    Como diferenciar os altos e baixos naturais da relação e os sinais sérios de que a relação esfriou de vez? Na sociedade atual de amores líquidos, relações fugazes e pessoas pouco tolerantes à frustração fica difícil avaliar, uma vez que os envolvidos se esgotam rapidamente, sem dar chance para a relação. As pessoas precisam rever conceitos, exercitar o altruísmo e entender que relacionamento demanda manutenção, paciência, doação. Todos os relacionamentos têm altos e baixos e quando o casal consegue superar as crises a relação fica mais sólida. A "falência" deve ser decretada quando o casal vive uma crise constante, as diferenças são insuportáveis, se existe violência física ou emocional e faltam admiração e respeito.

  • Não deixe a situação piorar!

    A mulher tem mais facilidade de verbalizar e elaborar o fim e o homem é mais acomodado nesse sentido. O homem espera que a mulher tome a decisão por ele ou que o destino o faça - por exemplo, quando é pego em uma traição. Outros, ainda, criam situações e tornam o relacionamento insuportável para que a mulher não tolere e "jogue a toalha". Podemos fazer uma analogia com o funcionário que começa a fazer tudo errado, chegar atrasado, etc. no intuito de ser despedido. Analise se não é isso que está acontecendo. É possível reverter a situação? Sim, mas demanda atenção, disposição, compreensão do cenário e empenho dos dois. Nesses casos, a ajuda de um profissional pode ser bem-vinda.

  • Você quer mesmo seguir em frente?

    Seu temperamento, o estágio da vida e os estímulos a que está exposta determinarão se e por quanto tempo você conseguirá manter uma relação insatisfatória. Alguns casos de dependência parecem comodismo, mas trata-se de uma dificuldade emocional. Homens convivem melhor em arranjos dessa natureza e podem até ser felizes. Já as mulheres toleram, mas vivem infelizes e com a sensação de incompletude. É importante analisar o que a leva a estar numa relação só por comodismo. Eis algumas razões frequentes: medo de ficar sozinha, de encontrar parceiros que satisfaçam menos ainda, de mudar o padrão social, abrir mão de bens ou conforto financeiro, de ser julgada pela sociedade e, ainda, por causa dos filhos. Há quem prefira a estabilidade de um relacionamento falido ao tumulto de uma separação. Reflita sobre todas as dificuldades, porque algumas preocupações são mais objetivas e/ou ligadas a questões materiais e outras de cunho emocional. Para as maioria das mulheres, a falta de amor é motivo para terminar uma relação, uma vez que se alimentam dele e a conta do relacionamento fica no positivo quando existe reciprocidade. Quando a situação chega nesse ponto, pode ser difícil reverter o quadro, mágoas foram acumuladas, culpa, raiva, a energia para mudar fica escassa e como foi dito, a reconstrução depende da mobilização de ambos.