menu
Topo

Relacionamentos

Você se daria bem em um relacionamento aberto?

iStock
Imagem: iStock

Mesmo que sequer cogite essa possibilidade, que tal descobrir se a experiência tem a ver com seu estilo de vida? Responda o teste abaixo, formulado com a ajuda do psicólogo Yuri Busin, doutor em Neurociência do Comportamento pela Universidade Presbiteriana Mackenzie, em São Paulo (SP), e diretor do CASME (Centro de Atenção à Saúde Mental Equilíbrio), também na capital paulista.

  • iStock
    iStock

    Não quer, não faça!

    Você não só não está preparada para encarar uma relação aberta, como provavelmente sequer pensa nisso. Talvez o par a esteja pressionando para viverem novas experiências e você venha se sentindo coagida a topar por medo de perdê-lo. Não quer, não faça. Inclua na sua vida somente aquilo que traga felicidade, prazer e bem-estar. Não há nada de errado, ainda, em não concordar com o amor livre, mas procure abrir a sua mente para respeitar as escolhas alheias em vez de torná-las alvo de preconceito e repúdio.

  • iStock
    iStock

    Não faz parte dos planos

    Abrir a relação não faz parte de seus planos, certo? OK, sem problema algum. No entanto, se estiver envolvida com alguém, que tal rever seus sentimentos a respeito de confiança, segurança, e expectativas. É possível que você alimente algumas crenças equivocadas e precisa reprogramá-las para se sentir mais leve. Exemplos? Acreditar que ciúme e apego são sinônimos de amor, pensar que é necessário fazer qualquer coisa para resgatar a chama sexual, aceitar apenas certos modos de viver considerados "de bem" pela sociedade, etc.

  • iStock
    iStock

    Visão livre sobre amor e sexo

    Você tem uma visão livre de preconceitos sobre o amor e o sexo. Porém, se quiser partir para um relacionamento aberto, ainda precisa alinhar muita coisa com o par. Nem sempre apenas o amor, a cumplicidade e afinidade bastam para inserir novas experiências - ainda mais envolvendo outras pessoas - na vida a dois. É necessário conversar bastante, com honestidade total, e responder certas perguntas. A ideia é ficar com mais de uma pessoa? Vamos ficar juntos no quarto? O que podemos fazer e o que não podemos? Essas e outras tantas questões precisam ser debatidas e decididas em conjunto. É claro que as regras podem mudar durante o tempo, mas sempre com base em uma boa conversa. Trazer a fantasia para o plano prático ajuda a evitar problemas e decepções. Atenção: o casal deve fazer isso enquanto se sentem confortáveis. Se um não se sentir bem o ideal é parar, conversar e decidirem juntos o que fazer.

  • iStock
    iStock

    Pronta para abrir

    Você, provavelmente, tem uma relação a dois ótima, calcada na confiança, no respeito, no amor e na parceria. Além disso, alimenta uma visão bem realista sobre os relacionamentos abertos. Porém, não se esqueça de que, por mais racionais e bem organizadinhas que sejam as decisões de um casal, ninguém está imune a imprevistos como se apaixonar perdidamente ou experimentar uma química sexual transformadora com alguém.