menu
Topo

Universa

Louis Vuitton anuncia plano para museu futurista em Paris

02/10/2006 18h32

PARIS (Reuters) - O maior grupo de moda da França anunciou na segunda-feira planos para um museu futurista construído de vidro para promover o legado de suas grifes, prometendo criar um novo marco parisiense que será a celebração da criatividade.

O magnata francês Bernard Arnault, presidente do grupo de produtos de luxo LVMH Moet Hennessy Louis Vitton, disse que o museu de 100 milhões de euros (127 milhões de dólares) vai exibir a arte que influenciou seus estilistas, que vão de Christian Dior a Marc Jacobs.

A "Fundação Louis Vuitton para a Criação" será abrigada num edifício revestido de vidro que vai erguer-se acima das árvores no parque Bois de Boulogne, na extremidade ocidental de Paris. O arquiteto canadense-americano Frank Gehry disse que a intenção é que a obra se assemelhe a uma nuvem.

Os críticos imediatamente traçaram paralelos entre o projeto de Arnault e os planos de seu arqui-rival nos negócios, François Pinault, proprietário do Grupo Gucci, de construir um museu.

Pinault, que também é proprietário da casa de leilões Christie's, exibiu sua coleção de arte moderna em Veneza no início do ano, depois de suas tentativas de construir um museu numa ilha no rio Sena, em Paris, serem frustradas pela burocracia.

"Não será uma fundação de arte puramente contemporânea", disse Arnault, derrubando as comparações com a coleção de Pinault.

"Comparações com outras iniciativas não são pertinentes."

Autor do projeto do museu Guggenheim em Bilbao, Espanha, uma construção revestida de titânio, Gehry disse que a encomenda do projeto do edifício de Louis Vuitton foi a realização de um sonho.

"Quando conheci o mundo, Paris se tornou minha cidade favorita", disse Gehry, 77 anos. "Então quando um homem que é líder na moda e que coleciona arte que eu amo me convidou a ir a Paris para criar um edifício, foi um convite vindo dos céus."

Gehry disse que, quando viu o local onde o museu será erguido, pensou na obra de Marcel Proust. "Senti vontade de chorar de felicidade", disse ele.

Arnault afirmou que o grupo LVMH, que gasta bilhões anualmente com publicidade, vai dividir o custo da construção ao longo dos próximos cinco anos. Ele espera que os trabalhos sobre a obra comecem no próximo ano e sejam concluídos antes de 2009.

O prefeito de Paris, Bernard Delanoe, disse: "Este é um presente enorme a Paris e à imagem da França no mundo."

O ministro da Cultura francês, Renaud Donnedieu de Vabres, prometeu que a fundação receberá um tratamento fiscal favorável.

Facebook Messenger

Receba seu horóscopo diário da Universa. É grátis!

Mais Universa