Topo

Beleza


Beleza

Óleos essenciais para os cabelos: conheça os benefícios e saiba como usar

Getty Images/iStockphoto
Imagem: Getty Images/iStockphoto

Luana Kondrat

Colaboração para Universa

2019-06-20T04:00:00

20/06/2019 04h00

Óleos essenciais são associados como um dos principais ingredientes de fragrâncias, bem como grandes aliados da aromaterapia -- método que promove bem-estar físico e psicológico por meio de diferentes aromas.

Mas eles têm sido usados também para melhorar a saúde dos fios e do couro cabeludo. "Os óleos essenciais são substâncias de maior concentração energética vegetal que existe. Por isso, possuem princípios ativos que são estudados e utilizados na ciência que estuda o cabelo", conta a dermatologista Lívia Lavagnoli, especialista em tricologia. Saiba mais sobre os benefícios dos óleos essenciais e como usá-los em casa.

Afinal, o que são os óleos essenciais?

As plantas produzem compostos primários, como açúcares e substâncias nitrogenadas, que são utilizados diretamente para a sua nutrição. Além destes, elas produzem também compostos secundários com funções como autodefesa -- repelentes de insetos herbívoros --, atração de polinizadores para garantir a perpetuação da espécie, e proteção contra a perda de água. Entre os compostos secundários estão os óleos essenciais, explica Lívia Lavagnoli.

Eles são sintetizados a partir de diferentes tipos de destilação e também da prensagem a frio de plantas, vegetais, raízes, frutos, flores e sementes, explica a tricologista Mabe Gouveia, tricologista da Clínica Valéria Marcondes, de São Paulo. E mais: "Os óleos essenciais carregam as propriedades da matéria às quais eles pertencem", diz a dermatologista e tricologista Kédima Nassif, de Belo Horizonte (MG).

De que forma eles agem no couro cabeludo?

Os óleos são uma ótima maneira de repor a umidade e os nutrientes do cabelo. "Eles penetram no córtex da fibra capilar, nutrindo-a de dentro para fora. Além disso, a substância tem ácidos graxos e vitaminas que ajudam a reconstruir a superfície do cabelo danificado e protegê-los de danos futuros", conta Lívia Lavagnoli.

Além disso, segundo a tricologista, há estudos que comprovam a capacidade antioxidante dos óleos essenciais, ou seja, eles melhoram o fluxo sanguíneo, ajudando na penetração dos nutrientes no couro cabeludo. Isso significa que são ótimos auxiliares nos tratamentos para calvície, oleosidade excessiva, dermatite seborreica, psoríase e até mesmo piolho.

Dá para usar os óleos essenciais em casa?

Sim. Mas, como são altamente concentrados, não se deve aplicá-los diretamente no couro cabeludo. É preciso diluir em óleos vegetais, máscaras capilares específicas -- que não são as mesmas usadas para hidratar os fios -- xampus e até mesmo em chás de plantas e águas florais, diz o dermatologista Leopoldo Duailibe Santos, especialista em doenças do cabelo e transplante capilar.

Lívia Lavagnoli indica pingar três gotas do óleo em 30 ml de xampu neutro. Depois, aplique sobre o couro cabeludo e deixe agir de 3 a 5 minutos. Em seguida, enxágue e finalize como de costume. "Não adicione a substância se o xampu já tiver outro óleo incluído", alerta a dermatologista. Em óleos vegetais, como o de coco, o de abacate ou o de macadâmia, coloque três gotas do essencial para cada 30 ml do vegetal. Então, após a higienização e hidratação dos fios, aplique a mistura apenas nas pontinhas, como se fosse um reparador.

Quais óleos investir?

Depende da necessidade dos fios ou do couro cabeludo. Cada óleo essencial possui uma função diferente.

Kédima Nassif indica:

  • Alecrim: muito usado para tratar o couro cabeludo e a fibra capilar. Ele é rico em antioxidantes, diminuindo os efeitos da poluição e do sol sobre a raiz e os cabelos. Além disso, tem propriedades que estimulam o folículo, favorecendo o crescimento saudável dos fios
  • Hortelã: tem propriedades antimicrobianas que favorece o controle dos micro-organismos do couro cabeludo, combatendo a caspa e ajudando no aumento do fluxo sanguíneo local.
  • Lavanda: conhecido por ter propriedades anti-inflamatórias, contribui nos casos de dermatite seborreica e outros tipos de descamação e coceira no couro cabeludo.
  • Melaleuca: ótimo aliado para controlar o processo de descamação e oleosidade do couro cabeludo.

Mabe Gouveia indica:

  • Ylang ylang: reduz a oleosidade do couro cabeludo, auxiliando na limpeza e mantendo os fios mais soltos e brilhantes;
  • Cedro: auxilia no couro cabeludo e haste muito secas, restaurando a hidratação.

Lívia Lavagnoli indica:

  • Gerânio: evita pontas duplas e promove maciez.
  • Sálvia esclareia: combate o ressecamento dos fios, devolvendo a água perdida ao longo do dia.
  • Bergamota, cipreste, junipero, limão: controla a oleosidade excessiva dos cabelos oleosos.

Quais cuidados tomar na hora de usar a substância?

Embora os óleos tenham diversos benefícios é preciso ficar de olho: idosos, cardiopatas, grávidas, crianças com menos de 3 anos, epiléticos e pessoas com doenças de pele não devem recorrer a substância antes de passarem por uma avaliação criteriosa, alerta Lívia Lavagnoli. "Óleos essenciais à base de limão, laranja, tangerina e gengibre, por exemplo, podem provocar danos a pele se, após a aplicação, houver exposição ao sol", completa.

Os óleos essenciais não entopem os folículos do couro cabeludo?

Apesar do termo "óleo", não significa que eles sejam gordurosos, pois são altamente voláteis. "Ou seja, apesar de ser definido como óleo, são substâncias concentradas que apresentam propriedades terapêuticas e não oleosas", esclarece Leopoldo Duailibe.