Topo

Sexo


Sexo

Simular sexo casual pode ser bom para esquentar as relações longas

Getty Images/iStockphoto
Brincar de sexo casual pode ajudar nos relacionamentos longos Imagem: Getty Images/iStockphoto

Heloísa Noronha

Colaboração para Universa

2019-06-12T04:00:00

12/06/2019 04h00

Por volta do sétimo ano juntos --às vezes, até antes disso-- é comum que os casais comecem a sentir que as coisas andam meio mornas, especialmente na cama. O estado de paixão inicial, que, segundo cientistas, dura cerca de dois anos, se aquieta e cede espaço para sentimentos mais calmos e tranquilos. Afinal de contas, é preciso pagar boletos, trabalhar, criar os filhos, lidar com as famílias e tantas outras atividades do dia a dia. Se vivêssemos em estado permanente de encantamento pelo par, como encarar as demandas cotidianas?

A libido, porém, exige constante investimento. E, de acordo com a psicóloga e sexóloga Tatiana Presser, autora do livro "Vem Transar Comigo" (Ed. Rocco), por mais paradoxal que seja, é justamente quando tudo parece chato e repetitivo que homens e mulheres podem se divertir de verdade na cama.

"As pessoas têm a sensação de que o início era muito legal, porque a resposta hormonal agia com rapidez. Hormônios ligados ao circuito da recompensa no cérebro, como dopamina, serotonina e adrenalina, entram em plena ebulição Tudo é novidade, ou melhor, o próprio parceiro é a novidade. Quando todo esse entusiasmo esfria, e os dois permanecem juntos, é sinal de que a relação foi elevada a outro nível. E a coisa pode ficar muito divertida quando o relacionamento está mais firme. É a fase ideal para procurar novidades", afirma.

Uma ideia que pode dar muito certo é recuperar ou simular o entusiasmo do sexo casual, segundo Carla Cecarello, psicóloga, sexóloga consultora do site C-Date e fundadora da ABS (Associação Brasileira de Sexualidade). "A proposta é eliminar um pouco do romantismo rotineiro e apostar em algo com mais pegada e atitude: posições, fantasias, ambientes e por aí vai."

Para Carla, o romantismo e o sexo tipo "amorzinho" ajudam muito no início de uma relação, para criar intimidade e fortalecer o vínculo. Porém, a transa movida por puro tesão e com altas doses de sacanagem é necessária para animar a sexualidade e estimular a libido. "Para isso, no entanto, pode ser que um casal que esteja junto há muito tempo precise reabastecer o repertório. Como? Lendo contas eróticos, buscando novidades na internet, experimentando sex toys. É necessário mudar a chavinha da cabeça para um modo mais ousado."

Na opinião de Tatiana, forjar o esquema do sexo casual pode ficar ainda mais excitante se homens e mulheres fingirem ser outras pessoas: se paquerando em um bar, por exemplo, ou incorporando personas na cama. "É mais fácil entrar na fantasia através de personagens. Criar uma espécie de alter ego, se for o caso, ajuda a se expor mais e a abrir o jogo sobre desejos", observa.

Tatiana acredita que, principalmente para as mulheres, a masturbação é um ótimo exercício para identificar melhor quais são esses desejos e fantasias. "Ao se masturbar e fantasiar sozinha é possível entrar em contato de verdade com suas vontades e necessidades e achar caminhos para alcançar esses prazeres com o parceiro", pontua.

Voltar a trocar mensagens provocantes é outra maneira de resgatar a memória do tesão intenso do início de namoro. "É uma atitude que colabora para quebrar a rotina, principalmente porque mexe com o imaginário e ainda ajuda a despertar um grande interesse naquilo que é proposto", comenta o sexólogo Ricardo Desidério da Silva, docente do Mestrado em Educação Sexual da Unesp/Araraquara.

Já Carla, por sua vez, alerta que a brincadeira do sexo casual é uma ótima ideia, desde que praticada eventualmente. "Se ela se torna algo constante, pode virar um problema no futuro. Um dos riscos é o casal passar a se apoiar exclusivamente nessa situação para se excitar e continuar junto. No sexo casual de verdade não há dia seguinte, mas quem usa essa tática para melhorar as coisas na cama vai ter de encarar a convivência e o dia a dia."

E, é bom ter em mente: até mesmo a brincadeira pode perder a graça com a repetição. O ideal, portanto, é que o casal converse e busque incorporar novidades em sua rotina. Rapidinhas e/ou transas em situações mais aventureiras podem valer a pena. "Às vezes, só de transar com a janela aberta e imaginar que alguém está vendo tudo já incita a imaginação e a injeta a dose de adrenalina necessária", fala Tatiana, que está em cartaz na capital paulista com o espetáculo teatral "Vem Transar com a Gente", ao lado do marido, o ator Nizo Neto.

Na peça, ela trata justamente da vida sexual de casais que estão juntos há um tempão. "Outra proposta interessante para incrementar as transas --e que não tem necessariamente a ver com sexo-- é partir para uma aventura juntos, como experimentar um esporte radical. A sensação de 'estamos juntos nessa' é bem afrodisíaca", diz ela.