Topo

Relacionamentos


Relacionamentos

Casamento no quintal: economia, intimidade e histórias lindas para contar

Claudia Dias

Colaboração para Universa

2019-06-09T04:00:00

09/06/2019 04h00

Vestido branco com cauda longa, véu e grinalda, fraque impecável, igreja megaenfeitada, festa com tudo do bom e do melhor: nem todo mundo sonha com aquele casamento cheio de tradições e abundância. Ao contrário, há muita gente que prefere algo mais íntimo, personalizado e, literalmente, caseiro.

Não à toa, dizer o "sim" em casa, no quintal ou no jardim, tem sido cada vez mais frequente. São várias as vantagens da cerimônia e mesmo uma festa na residência, incluindo economia - desde que não sejam necessárias adaptações do espaço que estourem qualquer orçamento, é claro! A seguir, três histórias para você se inspirar, além de lembretes importantes de organização.

Com vista para o mar

Camila Garcia e John Weickert se conheceram na faculdade e moravam juntos havia seis anos, quando resolveram casar. Antes mesmo de decidirem oficializar a relação, eles tinham uma certeza: o casamento seria na casa onde moram, em Balneário Camboriú, Santa Catarina, cujo jardim tem uma vista linda para a orla da cidade.

Arquivo Pessoal
Camila e John, na sua festa de casamento: tinha até vista para o mar Imagem: Arquivo Pessoal

"O lugar é cheio de histórias: meus sogros criaram os três filhos aqui e é onde acontecem todas as festas e encontros familiares. Logo, nunca pensamos em outro lugar. Mesmo sem saber quando seria, eu já planejava cada detalhe", conta Camila.

Um grande e tradicional casamento nunca esteve nos sonhos do casal. O que eles queriam, na verdade, era algo com clima bem caseiro. "Foi o que aconteceu: me arrumei no meu quarto e como o jardim já é lindo por si só, não tivemos trabalho para decorar", diz a noiva.

Apesar da possibilidade de chuva, a tarde estava ensolarada. A cerimônia teve estilo rústico, com caixotes, toras de madeiras e garrafas com flores sinalizando o corredor que levada ao altar feito de bambu e arranjos naturais.

Como o espaço era limitado para acomodar cerimônia e festa, os noivos optaram por festejar em espaço coberto, não muito longe dali. "Estávamos cientes de que o tempo poderia mudar e, se chovesse, faríamos tudo no local da festa, mas o dia estava lindo, a cerimônia foi muito leve, divertida, rápida. Um amigo celebrou, contou nossa história e deu significado às palavras casamento, amor, companheirismo", recorda-se Camila.

  • Dica da noiva: ter sempre um plano B, caso o clima não colabore no dia do casamento, e aproveitar a beleza natural do lugar.

Um brunch para celebrar o amor

Casamento, com pompa e circunstância, cheio de rituais, não era o sonho de Semira Nascimento e Eduardo Mendes, de São Paulo. Mas existia a ideia de comemorarem a nova fase do relacionamento que durava sete anos. Eles queriam reunir amigos e família para celebrar o amor, em clima intimista, mas sem gastar demais.

Arquivo Pessoal
Eles não quiseram nem fotógrafo: as imagens foram feitas pelos convidados Imagem: Arquivo Pessoal

Assim nasceu a ideia de um brunch logo após o casamento civil no cartório, do qual participaram apenas os familiares próximos. Foi uma amiga do casal que cedeu a casa com amplo quintal, cercado de muito verde, perfeito para acomodar a festa.

A dona da casa, aliás, foi a mestre de cerimônia, que comandou a pequena celebração diante dos convidados. "Foi um casamento que envolveu todo mundo, com louça de família e tortas feitas pela mãe e pela sogra, tudo muito colorido, como gostamos", lembra-se Semira.

Até de fotógrafos os noivos abriram mão. "Deixamos as fotos por conta dos convidados e ficou lindo, pois cada um expressou uma visão diferente do dia", afirma. Além disso, o clima colaborou: o sábado amanheceu frio, revelou um sol maravilhoso à tarde e culminou em chuva assim que o último convidado foi embora. "O ponto positivo foi a proximidade: deu para conversar com todo mundo e, de fato, celebrar", avalia Semira.

  • Dica da noiva: a casa deve ter estrutura adequada, como banheiro de fácil acesso, para todos os convidados. Também não deve estender muito a programação, afinal, é um ambiente residencial.

Cenário com recordações da infância

A casa da avó em Belo Horizonte, onde Helena Cortez passou a infância e é cheia de memórias afetivas, foi o local escolhido para seu casamento com Tocha Alves. "Sempre gostei de festas em áreas abertas e era um espaço que cabia todo mundo. Não poderia ter sido mais lindo", afirma.

Arquivo Pessoal
Helena e Tocha: economia que ninguém notou Imagem: Arquivo Pessoal

O local foi decorado por ela, o pai e uma amiga, no estilo tropical, combinando com a folhagem natural. Tudo foi preparado no estilo "faça você mesmo", do buquê ao toldo construído para eventual chuva - o que acabou não acontecendo.

O altar, montado embaixo de uma jabuticabeira, tornou-se palco para o pai da noiva, a mãe do noivo e uma amiga do casal deixarem mensagens para os dois. Foi ali, também, que Helena e Tocha fizeram a troca de votos.

Em vez de gastarem com decoração e roupas (ela usou top de paetês que era da mãe, na juventude, combinada com um short-saia comprada em bazar, por exemplo), os noivos optaram por investir apenas no que consideravam importante - música (dois amigos se revezaram como DJs), bebida à vontade e comida boa. "Foi uma festa linda e barata para casamento, apesar de não ter parecido barata", diz.

  • Dica da noiva: pensar o que é importante e o que o casal valoriza - e investir nisso.

10 dicas para tudo dar certo

As wedding planner Larissa Santos, da Seraphine Eventos, e Carol Rodrigues, da Avec Toi, dão mais dicas preciosas para a organização de um casamento no quintal.

  1. A lista de convidados precisa ser enxuta, priorizando os mais íntimos.
  2. É importante definir e delimitar quais áreas da casa serão integradas à festa, como banheiro e cozinha.
  3. Para calcular quantas pessoas o espaço acomoda, considere que 1 metro quadrado pode receber de 3 (com refeição que exige mesas e mobília de apoio) a 9 pessoas (com coquetel e boa parte das pessoas em pé).
  4. Os anfitriões devem comunicar os vizinhos sobre o evento, informando data e horário da festa.
  5. É preciso planejar a logística de estacionamento dos carros, checando a possibilidade de pararem na rua à frente. Ter manobristas e seguranças para acompanhar a chegada e saída dos convidados ajuda bastante.
  6. Levantar antecipadamente o consumo médio de energia previsto e, se for necessário, providenciar gerador.
  7. Avaliar objetos de valor sentimental que farão parte da decoração, considerando o risco de quebras e danos. Peças importantes que não serão usadas devem ser guardadas fora da área de circulação dos convidados.
  8. Preparar-se para chuva e vento forte, pois ambas as situações podem acabar com o casamento. É imprescindível ter cobertura disponível ou alternativas para mudanças de planos na última hora.
  9. Como os noivos devem se arrumar na própria casa, evitar que outras pessoas da família façam o mesmo, pois isso pode tumultuar o fluxo.
  10. Antecipar tudo o que puder ser feito antes, como decoração e até comida. Não deixar nada para resolver na véspera e, muito menos, no dia do casamento.