Topo

Autoestima


Madonna aos 60: "Envelhecer quase parece um crime"

 Kevin Mazur/Getty Images
Madonna canta no Billboard Music Awards 2019 Imagem: Kevin Mazur/Getty Images

do Universa

2019-06-05T16:27:45

05/06/2019 16h27

Madonna, a eterna Rainha do Pop, completou 60 anos em agosto do ano passado e se prepara para lançar seu novo álbum, "Madame X", ainda neste mês. Depois de uma longa temporada em Sintra, em Portugal, e atualmente baseada em Londres, a cantora desabafou ao "The New York Times" sobre os desafios, alegrias e dissabores dos quase 40 anos de carreira.

"Primeiro de tudo, eu queria ter um sustento", revela Madonna, sobre os motivos que a fizeram apostar no mundo da música. "Estava cansada de ser tão quebrada. Mas além disso, tudo que eu queria era uma música tocando nas rádios. Isso era tudo que eu rezava para conseguir. Uma música", relembra.

Ao longo de quatro décadas diferentes, Madonna teve muito mais do que desejou. O seu jeito irreverente e ousado, falando abertamente de sexo em "Like a Virgin" ou outros temas polêmicos como gravidez na adolescência em "Papa Don't Preach", alavancou seu sucesso e a tornou a cantora com mais hits nos charts mundo afora e também a que mais lucrou com ingressos de shows na história. Mas tanto prestígio veio com um preço.

"Uma mulher se expressando sem medo e dizendo 'Estou encorajando vocês a serem independentes, falarem o que pensam, expressarem sua sexualidade livremente, sem vergonha, não deixarem homens as objetificarem', eu sei lá... Tudo isso parecia o jeito natural que as coisas deveriam ser. Mas, estranhamente, muitas feministas ainda me criticaram por isso e eu não tive nenhum suporte delas. Elas pensaram que eu não poderia usar minha sexualidade para me empoderar. Mas eu acho isso um lixo porque minha sexualidade é parte de mim, como mulher. Não era a única coisa que eu tinha a oferecer, não era minha única arma e não era o único assunto que eu falava", desabafa.

Apesar dos desentendimentos com o movimento feminista, Madonna não esconde a felicidade de ver movimentos como o #MeToo, que expôs os abusos praticados por Harvey Weinstein e outros homens de Hollywood, ganhando força. "Harvey ultrapassava os limites e era extremamente sexual comigo quando trabalhamos juntos", relembra Madonna. "Ele era casado na época e eu certamente não estava interessada. Eu sabia que ele fazia o mesmo com muitas mulheres que conhecia. E todas elas diziam 'Harvey consegue fazer essas coisas porque ele tem muito poder, muito sucesso e seus filmes vão tão bem que todos querem trabalhar com ele, então você tem que aguentar'", conta. "Então tudo aconteceu e eu pensei 'Finalmente'. Eu não estava aplaudindo porque nunca vou torcer pela queda de alguém. Não acho que seja um bom karma. Mas é bom que alguém que vinha abusando de seus poderes por anos seja chamado atenção e punido", opina a cantora.

Atualmente solteira, Madonna já se envolveu com homens mais novos e mais velhos, mas admite não ter conseguido se encontrar em seus dois casamentos. "Eu me vi sendo a esposa tentando ser aquilo que esperam de você: tentando agradar ao outro, mas sem poder ser quem você realmente é. Essa é a grande batalha, eu acho, de estar num relacionamento. Às vezes achamos que precisamos diminuir nossas conquistas ou nos rebaixar para que os outros não se sintam intimidados", declara.

Aos 60, Madonna acredita que seu jeito de expressar sua sexualidade é sempre condenado pela sociedade, mas nada a impedirá de continuar fazendo o que gosta. "Envelhecer quase parece um crime. Você não tem como vencer. Uma foto da sua bunda vai te dar mais seguidores, mas você também terá muito mais críticas. É um lugar estranho para se estar", diz. "Pare de pensar. Apenas viva sua vida e não se influencie pela sociedade tentando te fazer se sentir de algum jeito sobre sua idade. Somos um grupo marginalizado, as mulheres. Por mais difícil que seja, não significa parar de lutar contra ou desafiar o sistema ou se recusar a ser colocada numa caixinha do que você pode ou não fazer", dispara.

"Qual é a verdade? A sua verdade aos 18 anos não será sua verdade aos 28 nem aos 38. A vida não é preto no branco. É cinza. E em um minuto, você vai se sentir e acreditar em algo fortemente e então você não acreditará mais em cinco anos", conclui Madonna.