menu
Topo

Sexo


Sexo

Até na masturbação: controlar respiração pode render orgasmo mais forte

iStock
Seu jeito de respirar pode mudar o seu orgasmo Imagem: iStock

Claudia Dias

Colaboração para Universa

2019-05-20T04:00:00

20/05/2019 04h00

Existem várias técnicas para aumentar o orgasmo. Algumas exigem conhecimento, apetrechos, condicionamento físico... Outras, porém, são mais simples, e envolvem quase nada, como o simples ato de respirar.

É que o controle do entra-e-sai do ar em nosso organismo pode refletir diretamente na intensidade do clímax. Por trás da maioria das estratégias está o tantra. "É uma filosofia milenar indiana que busca, através da exploração da sexualidade, chegar a um desenvolvimento emocional, mental e espiritual aprimorado e transcendental", resume Alexandre Pedro, psicanalista, master practitioner de PNL e hipnoterapeuta.

De acordo com o especialista, com tal recurso, é possível fazer com que o sexo dure muito mais tempo, e até proporcionar para a mulher orgasmos múltiplos e, para homens, o orgasmo seco (sem ejaculação).

Alexandre Pedro, Gislene Teixeira (coach de relacionamento e sexualidade, mediadora e conciliadora de conflitos) e Virginia Gaia (sexóloga holística) ensinam algumas técnicas bem úteis e prazerosas para a hora do sexo.

Na batida da música

Escolha uma composição que desperte prazer ou tenha marcado bons momentos. Dê preferência às que começam lentamente e, aos poucos, aumentam o ritmo. Acompanhe-o com sua respiração. Durante o exercício, imagine a energia do corpo se expandindo e preenchendo-se de energia sexual (vislumbrada na cor laranja). Movimente o quadril e a musculatura da pélvis. Inspire e expire profundamente, sempre seguindo a música. Ao manter respirações lentas e profundas, o cérebro aumentará a produção da oxitocina, hormônio do amor e afetividade.

Com essa prática, a mulher consegue ampliar as chances de atingir orgasmos múltiplos por promover uma maior abertura do centro do coração (chakra cardíaco) e se conectar ainda mais com o par. Já os homens conseguem manter uma ereção mais prolongada, auxiliando, inclusive, a controlar a ejaculação precoce. O exercício deve ser feito um ponto antes do sexo ou sempre que tiver vontade, durante cerca de 10 minutos.

Treino na masturbação

Até encontrar seu próprio ritmo, sem se preocupar com a presença de alguém, uma boa alternativa é exercitar a respiração enquanto se masturba. Para tanto, escolha uma posição confortável - deitar de barriga para cima é ótimo! Coloque as mãos apoiadas suavemente sobre o abdome e concentre-se na respiração. Inspire pelo nariz, puxando bastante ar, lenta e profundamente, até encher o seus pulmões. Observe a barriga inflar, elevando as mãos. Em seguida, também lentamente, solte o ar pela boca e observe como a barriga esvazia, com as mãos regressando ao ponto inicial.

Pratique algumas vezes e, depois, comece associar a respiração a toques de prazer. No seu ritmo, continue nesse ciclo de respiração, combinada com contatos suaves em seu corpo, nas partes que lhe dão prazer -- zonas erógenas e íntimas. Se preferir, apenas deslize as mãos, dedilhando seu corpo, sentindo o toque na pele. Vai notar que em alguns momentos a respiração estará mais calma e, em outros, mais intensa e ofegante, assim como os batimentos cardíacos. O mesmo ocorre com o fluxo sanguíneo. Siga prestando atenção constante na respiração e entregue-se ao orgasmo solo. Depois de certo tempo de prática, o exercício pode ser adotado durante a relação sexual.

Respiração coordenada

Quando estiver com alguém na cama, a conexão pode começar já no beijo. Abuse e ouse da respiração durante a ação, sentindo o corpo começando a se excitar. Intensifique os beijos, feche os olhos, inspire mais profundamente e expire de forma mais lenta, sem parar de beijar. Faça "rapport", isto é, copie, imite a respiração do par. Isso aumenta a conexão emocional entre os dois e, associado aos toques e carícias, leva a orgasmos intensos.

Mais uma aposta que pode ser adotada a dois é a chamada "respiração circular", em que não há espaço para pausas ou intervalos longos e a respiração de um se funde à do outro. Ou seja, quando um inspira, o par já expira, sem esperar que o ciclo alheio seja finalizado. Tal técnica faz aumentar o ritmo dos batimentos cardíacos e do fluxo sanguíneo.

Ar preso (mas só um instante)

Outro exercício é a supressão da oxigenação/ respiração, ou seja, parar de respirar por uma fração de tempo - menos que 1 segundo, na verdade - na hora do orgasmo. A interrupção momentânea faz o orgasmo ser mais intenso, especialmente para as mulheres. Para os homens, muitas vezes, essa superação de oxigenação é utilizada para inibir a ejaculação. Em ambos os casos, é preciso certo treino até chegar ao ponto exato.