menu
Topo

Carreira e finanças


Carreira e finanças

60% dos executivos dos EUA têm medo de ficar sozinhos com uma funcionária

iStock
Executivos americanos têm evitado encontros a sós com funcionárias Imagem: iStock

Da Universa

2019-05-18T14:44:00

18/05/2019 14h44

Conforme aumentam as discussões e as denúncias sobre assédio sexual nos Estados Unidos, um comportamento corroborado pelo movimento Me Too, outros obstáculos começaram a surgir para as mulheres. Agora, elas são evitadas pelos chefes.

Uma pesquisa divulgada pela organização Lean In, liderada pela chefe de operações do Facebook, Sheryl Sandberg, mostrou que 60% dos diretores e gerentes homens dos Estados Unidos têm medo de fazer qualquer atividade em que estejam presentes apenas ele e uma outra funcionária. Essas atividades incluem agendas totalmente rotineiras, como reuniões.

Além disso, 33% evitam viagens e jantares de trabalho com funcionárias do sexo feminino. Segundo Sheryl, eles têm medo de que qualquer compromisso em que estejam sozinhos com uma mulher possa ser visto como uma situação de assédio.

A executiva do Facebook critica veementemente esse comportamento. "É importante que ninguém assedie ninguém. Mas isso é o básico. Nós também precisamos não ser ignoradas", afirmou Sandberg em entrevista ao canal americano CNBC. "Homens e mulheres precisam ser capazes de viajar, ir a reuniões e jantares juntos."

"Além disso, as mulheres já não recebem a mesma mentoria profissional que os homens e, em especial, as mulheres negras. Ninguém nunca consegue uma promoção sem ter uma reunião cara a cara", disse.

Sandberg ainda avalia que, se um executivo evita ficar sozinho com uma funcionária pensando que isso pode ser um bom exemplo, ele está fazendo exatamente o contrário, criando divisões e permitindo que o sexismo se instale na empresa.