Topo

Direitos da mulher


Todos os votos pela proibição do aborto no Alabama (EUA) foram de homens

Reuters
No destaque, o senador republicano Clyde Chamblis e mais senadores que votaram pela lei anti-aborto Imagem: Reuters

Da Universa

2019-05-15T11:41:29

15/05/2019 11h41

Em uma controversa decisão, os legisladores do Alabama aprovaram nesta terça (14), por 25 votos a 6, uma lei para acabar com quase todas as possibilidades de aborto no estado americano, que poderá assim ter a lei de aborto mais restritiva dos Estados Unidos. Os votos a favor da nova regra, que proíbe a interrupção da gestação até em casos de estupro ou incesto, foram todos de homens brancos.

Em uma casa pouco diversa, dos 35 membros, 27 são homens brancos e republicanos e apenas 4 mulheres -- três delas votaram no pleito.

Reprodução
Os 25 senadores republicanos que votaram pela proibição do aborto no Alabama Imagem: Reprodução

Uma das famosas opositoras às recentes decisões contra aborto, a atriz Alyssa Milano protestou diante do fato:

"Nenhum útero. NENHUM ÚTERO"

A atriz Sarah Silverman também lamentou a recente decisão:

"Bom luto. As mulheres deveriam ter a mesma autonomia sobre seus corpos que os homens. Se não temos autonomia, não temos direitos iguais"

O que a lei defende?

Pela lei aprovada, o aborto passa a ser um crime grave em qualquer estágio da gravidez, e quase não há exceções, nem mesmo em casos de estupro ou incesto. A prática só é permitida em caso de risco grave para a vida da gestante. As penas vão de 10 (por tentativa de aborto) a 99 anos de prisão (se concluído) para o médico que o praticar. Não há punição para as gestantes.