menu
Topo

Diversidade


5 séries para pensar em questões raciais e de gênero na Netflix e HBO Go

Da Universa

2019-05-13T04:00:00

13/05/2019 04h00

Para debater racismo e sexismo, não é preciso se limitar a ler sobre o assunto ou procurar materiais didáticos. Cada vez mais séries trazem debates sociais e estão ali, em um serviço de streaming, prontas para serem maratonadas.

Universa fez uma lista de cinco séries, de diferentes gêneros, em que as protagonistas são mulheres negras e que, de alguma forma, debatem questões raciais e de gênero em suas tramas. Para assistir com uma mão na pipoca e outra na consciência.

Ela Quer Tudo

David Lee/Netflix
Imagem: David Lee/Netflix

Nessa série do ganhador do Oscar Spike Lee, acompanhamos a história da protagonista Nola Darling (interpretada por DeWanda Wise), que se define como "pró-sexo, poliamorosa e pansexual". Ela é uma artista, tem três namorados, se relaciona com mulheres e sua personagem debate a sexualidade e liberdade das mulheres negras diante de tanta objetificação. Está na netflix.

Grown-ish

Divulgação
Imagem: Divulgação

O spin off da controversa série da Netflix Black-ish acompanha o fim da adolescência e o início da vida adulta da personagem Zoey Johnson (Yara Shahidi). Ela sai de casa, ingressa na faculdade, se apaixona e começa a trabalhar. Seu grupo de amigos é um dos pontos altos: há muita representatividade negra, uma judia bissexual, um indiano, uma latina. A série trata de temas como raça, feminismo, colorismo, sexualidade, tudo sem perder a leveza. O texto é ótimo.

Seven Seconds

Divulgação
Imagem: Divulgação

No drama policial Seven Seconds, o debate sobre violência policial com viés racial nos EUA é a temática. Na trama, um policial branco se distrai por estar falando no celular enquanto dirige e atropela um jovem negro. Tudo dura sete segundos, daí o nome da série. O incidente é acobertado por policiais, que pensam que a vítima está morta, e o jovem é deixado na estrada, em um dia de nevasca em Nova Jersey, sem socorro, sendo resgatado em estado gravíssimo muito tempo depois. A protagonista é Latrice Butler (Regina King), mãe do jovem, que vai atrás de descobrir o que realmente aconteceu no acidente, ao mesmo tempo em que lida com dramas pessoais. A série é muito atual ao abordar os casos de violência policial contra negros que aconteceram nos últimos anos nos EUA. Na Netflix.

Insecure

Reprodução
Imagem: Reprodução

Uma boa credencial para a série é: a ex-primeira dama americana Michelle Obama é superfã. Atualmente na terceira temporada, com a quarta confirmada para 2020, Insecure é criada, escrita, co-produzida e estrelada por Issa Rae, no papel de Issa Dee. A série começa contando a história de uma millenial que, aos 29 anos, se vê estagnada em um relacionamento morno, com um emprego bem diferente daquele que sonhou. No humor ácido e nas tramas das melhores amigas de Issa, o racismo é tema recorrente. Issa Rae diz se inspirar nas situações que viveu e pessoas que passaram pela sua vida para a série. A trilha sonora e os figurinos valem destaque. Na HBO Go.

Cara Gente Branca

Divulgação/Netflix
Imagem: Divulgação/Netflix

A série acompanha a trajetória da protagonista Samantha White (Logan Browning) e um grupo de alunos negros em uma universidade americana majoritariamente branca. A trama é, ao mesmo tempo, muito fluida, com personagens arrebatadores, e bastante didática. Questões como racismo reverso, black face, colorismo, solidão da mulher negra, militância, violência: tudo está na Netflix.

Errata: o texto foi atualizado
Diferentemente do informado anteriormente, o papel de Regina King em "Seven Seconds" é de Latrice Butler, mãe do jovem que foi atropelado. O conteúdo foi corrigido.