menu
Topo

Violência contra a mulher


Após ficar entre a vida e a morte, mulher mostra marcas das agressões do ex

Reprodução
Emma Cranston esteve entre a vida e a morte após ataques do ex-namorado Imagem: Reprodução

Da Universa

2019-05-11T12:04:41

11/05/2019 12h04

Uma americana agredida pelo ex-namorado mostrou nas redes sociais as feridas que ele deixou em seu corpo, incluindo costelas quebradas. Emma Cranston, de 37 anos, de Ellesmere Port, Cheshire, foi espancada por George Arathoon, 27 anos, em fevereiro de 2018. E não foi a primeira vez.

Ela foi levada para o hospital, onde os médicos reconstruíram três costelas suas. E ouviu ter sorte de estar viva. Após o episódio, e perceber a gravidade da situação, Emma decidiu denunciar Arathoon à polícia, e terminar o relacionamento de sete anos, marcado por abuso físico e emocional.

"Essa é a minha história. Espero que incentive mais de vocês a falar ou pelo menos reconhecer os sinais de abuso", escreveu a mulher na página que criou para falar sobre o tema, intitulada "Love doesn't hurt" (Amor não machuca).

Ao Daily Mail ela contou que durante anos, "estava sob seu feitiço", e nunca teve coragem de enfrentá-lo. "Foi só quando eu estava no hospital, no meu leito de morte, que percebi que tinha que fugir", justificou. Era Dia dos Namorados quando resolveu criar coragem e falar com a polícia. "Foi nesse dia que finalmente aprendi a me amar".

Arathoon foi condenado por agressão ocasionando dano físico real e sérios danos corporais e intimidação após julgamento no Tribunal de Chester Crown, em julho de 2018. Ele está atualmente cumprindo uma sentença de cinco anos de prisão.

Emma, que tem dois filhos adolescentes, conheceu quando Arathoon quando ele se mudou para a rua onde ela mora, em 2009. Ficaram amigos e, em 2013, o casal passou a viver junto. A violência, relata ela, começou em seguida. "George e eu estávamos tão próximos e eu realmente confiava nele. Senti que precisava dele, e acho que ele se aproveitou disso", relatou ela, para continuar.

"Uma noite, saímos com amigos e George estava bêbado e me bateu. Eu o coloquei fora de casa, mas se desculpou tanto que cedi. Ele foi adorável por um tempo, realmente carinhoso e encantador, mas depois aconteceu de novo".

A americana fala que o ex-companheiro a convenceu de que tudo o que estava acontecendo era culpa dela. "Ele me disse que eu era tão ruim quanto ele. Comecei a pensar que era errado me defender. Ele tinha um tipo de controle sobre mim, e comecei a pensar que não poderia viver sem ele".

Sem usar maquiagem ou se vestir bem, a mando do ex, Emma deixou seu emprego em um call center "porque havia outros homens lá". Mas apesar de "obedecê-lo", em 2016, durante uma discussão, Arathoon jogou uma lasanha fervendo no rosto da mulher. No ano seguinte, ele a atacou e quebrou várias costelas da vítima. Tudo por ciúme.

Na noite em que ficou entre a vida e a morte, Emma disse que saiu para beber com uma amiga, e levou o ex. No bar, o agressor brigou com outro homem e todos foram expulsos do local. Dentro do carro, e percebendo a fúria do homem, Emma o mandou sair do veículo e foi até a casa de um amigo. Ao voltar para a casa, George a atacou.

"Eu caí no chão e, quando me levantei, ele me chutou com força na lateral. Eu perdi a consciência e, quando cheguei, ele estava batendo no meu peito e rosto. Encontrei forças para voltar para dentro de casa, tentando fugir dele, mas ele me pegou de novo e me jogou no quarto. Ficamos ali por três horas".

Uma amiga de Emma viu o que estava acontecendo e chamou a polícia. Ela teve múltiplas fraturas nas costelas e um pulmão perfurado.

No Dia dos Namorados do ano passado, nos EUA celebrado em fevereiro, ela finalmente criou coragem para buscar justiça. Após o julgamento, uma ordem de restrição foi estabelecida para impedir que Arathoon chegasse perto de Emma ou de sua família.

Emma espera que, compartilhando sua história, possa alertar as pessoas sobre os sinais de abuso. Sua página no Facebook já tem 30 mil seguidores.