menu
Topo

Diversidade


Massachusetts é eleito o melhor estado para inclusão LGBT nos negócios

iStock
Califórnia, Connecticut e Nova York também aparecem no topo do ranking Imagem: iStock

Da Universa

2019-05-07T16:16:32

07/05/2019 16h16

Uma pesquisa realizada pelo LGBT + Business Climate Index nomeou Massachusetts como o melhor estado dos Estados Unidos para negócios com inclusão LGBT.

O estudo separou as federações do país em cinco diferentes categorias: proteções legais e não discriminatórias, juventude e apoio familiar, atitudes políticas e religiosas, acesso à saúde e segurança, além de emprego e ambiente de trabalho. Os estados receberam notas de 0 a 100 e Massachusetts liderou a lista com a pontuação 90/100.

Outros estados que também ficaram no topo do ranking foram Califórnia, Connecticut, Vermont, Rhode Island, Oregon, Hawaii, Nova York, Novo México, Minnesota e Washington. Já as federações que receberam as piores pontuações foram Virgínia Ocidental, Louisiana, Arkansas, Alabama, Texas, Tennessee, Oklahoma, Carolina do Sul, Carolina do Norte e Mississippi.

Em relação à pesquisa, o fundador Todd Sears afirmou que ela "vai além de uma avaliação de estruturas legais para medir o impacto que as políticas governamentais e as atitudes prevalentes têm sobre as pessoas LGBT + residentes em cada estado, quantificando os imperativos econômicos para a inclusão e os custos da discriminação".

De acordo com Sears, "a marginalização social das pessoas LGBT - que muitas vezes pode ser sutil e difícil de mesurar - tem um custo econômico sério e real". No relatório, ainda é citado que legislações discriminatórias como a lei de Restauração da Liberdade Religiosa (RFRA) assinada em Indiana em 2016, e a aprovação da Lei de Banheiro do HB26 na Carolina do Norte, prejudicaram a reputação das federações, o que acarretou em perdas econômicas.

Além disso, também é reportado no estudo que "empresas em que as pessoas LGBT recebem apoio, desfrutam de maior lucratividade e preços de ações, além de aumentar a produtividade dos funcionários".