menu
Topo

Carreira e finanças


Carreira e finanças

Modelo australiana faz desabafo após pressão na carreira: “Estou exausta"

Reprodução
A australiana Ajak Deng Imagem: Reprodução

Da Universa

2019-05-03T11:17:15

03/05/2019 11h17

A australiana Ajak Deng fez um desabafo em seu Instagram para relatar as dificuldades enfrentadas na indústria da moda. No vídeo divulgado em seu stories, ela afirma ter pensado em tirar a própria vida por conta da pressão que vem sofrendo.

"Essa é a vida que todo mundo quer. Você quer ser um modelo, um modelo de sucesso. Mas você não sabe que ninguém está sozinho no topo, não apenas isso, as pessoas com quem você trabalha não param de dizer que você tem que ser uma pessoa melhor, que você é horrível, constantemente, todos os dias. Estou exausta, não aguento mais, se cometer suicídio, sei que estou fazendo por sua causa, não aguento mais, não posso mais fazer isso", desabafou Ajak, aos prantos. Ela havia aberto o desfile da coleção primavera-verão 2019 da Haute Couture de Valentino.

Por conta da repercussão do vídeo, os internautas passaram a divulgar a hashtag #HereForAjak para dar suporte à modelo.

Na quinta-feira (2), ela voltou ao Instagram para agradecer ao apoio. "Olá, pessoal. Agradeço a todos pelas mensagens adoráveis e cheias de amor. Eu estou ficando melhor e quero avisar para todo mundo que estou bem. Obrigada a todos vocês".

Em 2016, Ajak Deng já havia ido a público comentar sobre a pressão que sofria na profissão e também por ser uma mulher negra. "Estou voltando para a Austrália para viver a vida que eu mereço, uma vida real, eu não suporto mais as mentiras e fingimentos... Minha vida é curta demais para todo esse drama", disse.

Dois anos depois, Ajak se juntou com as modelos Leomie Anderson, Khoudia Diop e Nyakim Gatwech para participar de um vídeo da BET her, que retrata a cultura negra, onde falou dos perrengues que precisava enfrentar na carreira por conta de seu tom de pele.

Apesar de viver na Austrália, Ajak nasceu no Sudão e chegou a morar em um campo de refugiados no Quênia para fugir de uma guerra civil.