menu
Topo

Sexo


Sexo

Faz gostoso e põe leite condensado, como na música? Os erros comuns no sexo

iStock
Açúcar na região íntima é festa para bactérias e pode causar infecção urinária Imagem: iStock

Talyta Vespa

Da Universa

2019-04-26T04:00:00

26/04/2019 04h00

Anitta e Wesley Safadão cantam: "Eu sei porque eu não te largo: cê faz gostoso e ainda põe leite condensado". O trecho da música "Romance com safadeza" retrata uma prática comum no imaginário dos casais: misturar sexo com comida.

O problema é que colocar leite condensado ou outros doces na região íntima é um erro. O açúcar em contato com a flora vaginal e com o pênis é tudo o que as bactérias precisam para se proliferarem, o que pode causar diversos problemas que vão desde candidíase até infecção urinária. Melhor deixar as coberturas para o sorvete depois da transa.

Além desse, conheça outros erros que são comuns na hora do sexo.

Não apertar a ponta da camisinha

camisinha

Na hora de colocar a camisinha no pênis, é preciso apertar aquela pontinha para não deixar formar uma bolha de ar. Se isso acontecer, na hora da ejaculação, o preservativo pode se romper com facilidade.

Usar o o mesmo dedo no ânus e na vagina

ai que susto

Na masturbação, é comum usar o mesmo dedo para penetrar o ânus e a vagina. A prática, no entanto, pode causar infecções urinárias, vaginite e corrimentos. As bactérias presentes nas fezes são diferentes das que habitam a vulva. Por isso, a recomendação é: trocar de dedo na hora de trocar de orifício ou lavar as mãos. Colocar camisinha no dedo também é uma opção.

Fazer ducha íntima anal com frequência

ducha

Para que o sexo anal seja mais tranquilo, é comum lavar com ducha para tirar possíveis resquícios de fezes antes da prática. No entanto, fazer a ducha íntima com frequência pode prejudicar o trabalho natural do intestino, de digestão e evacuação. A recomendação é que a frequência nunca seja maior que uma vez por mês. Quanto menos, melhor.

Não fazer xixi depois de transar

xixi

Tanto o homem como a mulher devem fazer xixi depois do sexo. Isso porque urinar ajuda a eliminar possíveis bactérias que entraram em contato tanto com o pênis como com a vagina durante a relação sexual. Fazer xixi e lavar com água depois, então, é a combinação perfeita para evitar infecções.

Não trocar de camisinha quando a lubrificação acabar

toboágua

Um sexo longo, com várias trocas de posição, pode fazer com que a camisinha perca a lubrificação. Quando isso acontece e o casal não troca de preservativo, a rigidez machuca a vagina. É recomendado que, ao perceber que o atrito entre a camisinha e a parede da vagina (ou do ânus) ficou mais intenso, o casal pegue um novo preservativo ou use lubrificante para ajudar.

Não cortar as unhas

unhas

Penetrar a vagina, o ânus ou tocar a cabeça do pênis com unhas grandes é uma cilada. Primeiro, porque pode machucar o crush, depois porque quanto maior a unha, mais bactérias ela pode acumular. Então, além de doer, você pode transmitir sujeirinhas para a região íntima do parceiro. Melhor evitar.

Fazer sexo oral sem proteção

oral

Esse é um clássico das relações sexuais. Por mais que todo mundo saiba, nínguem usa. Lamber borracha é chato mesmo, mas mais chato ainda é pegar ISTs (infecções sexualmente transmissíveis). No Brasil, há surto de sifílis e, no mundo, há uma epidemia de HPV solta por aí. Então, nada de fazer sexo oral sem preservativo. Se cuidar é muito importante.

Fontes: Mariana Rosario, ginecologista do hospital Albert Einstein e pesquisadora da Faculdade de Medicina do ABC; Vanessa Inhesta, sexóloga, consultora em saúde e educação sexual.