menu
Topo

Stalkeadas

Um olhar diferente sobre o que bomba nas redes sociais


Qual a sensação de ser mulher negra e assistir ao documentário da Beyoncé?

Reprodução/Instagram
Imagem: Reprodução/Instagram

Da Universa

2019-04-17T15:38:26

17/04/2019 15h38

Nesta quarta-feira (17), a Netflix liberou o documentário "Homecoming", que retrata os bastidores e a apresentação de Beyoncé no Coachella, em 2018.

Um dos maiores nomes da música pop atualmente, a cantora, de 37 anos, foi a primeira mulher negra headliner do festival, atraindo mais de duas milhões de menções na rede social com a hashtag #Beychella e se tornando a atração mais assistida, com 450 mil pessoas na transmissão virtual ao vivo.

Beyoncé uma das artistas que levanta a bandeira pelos direitos e visibilidade da comunidade negra - em um ambiente predominantemente branco. E essa representatividade ficou ainda mais clara depois que o documentário foi disponibilizado.

No Twitter, diversas mulheres negras descreveram a sensação de ver uma mulher negra desempenhando o papel que a cantora tem hoje em dia - não só na música como na indústria cultural por completo.

"Referência de vida e autoestima"

"Ser uma mulher negra e viver no tempo e que a Beyoncé vive é um privilégio"

"Impressionada com o impacto que Beyoncé causa na minha vida, como mulher negra"

"Orgulho de ser negra"

"Gratificante demais"

"Eu não teria vontade nenhuma de ser artista se eu não tivesse me visto nela com 6 anos de idade"

"Como negra eu senti que o mundo queria que eu ficasse no meu cantinho e mulheres negras muitas vezes se sentem subestimada"

"Ter alguém como a Beyoncé é de muito valor"