menu
Topo

Mães e filhos


Mães e filhos

Leve comida e lave uma louça: como ser uma boa visita para mães de bebês

Arquivo Pessoal
Para Isabella, boa visita é a que brinca com a filha Imagem: Arquivo Pessoal

Talyta Vespa

Da Universa

2019-04-17T04:00:00

17/04/2019 04h00

Sabe aquele cafezinho que você aceita quando chega na casa de alguém? Ele pode ser um trabalhão daqueles quando a casa em questão é de uma mãe que acabou de ter um bebê.

Ela, que pode estar sem dormir por mais de três horas seguidas desde que o filho nasceu, não deve ter o trabalho de pensar em cuidar, ainda, do amigo que chega para visitar. Quem diz isso é a dona de casa Isabella Coelho, de 25 anos, que é mãe da Maria Clara, de 1 ano.

"A melhor visita é aquela que, quando vem para jantar, traz comida e ainda lava a louça. Adoro receber amigos em casa, mas a visita se torna um tormento quando preciso pensar em cozinhar ou comprar alguma coisa", conta.

Isabella afirma, ainda, que uma boa visita é aquela que, hoje, brinca com Maria Clara até ela cansar. "Aí ela dorme cedo e eu consigo dormir também", ri.

Além disso, ajudar com as tarefas de casa é uma mão na roda. "Não pergunte se a mãe quer ajuda, ajude; lave uma louça sem perguntar se pode, dobre uma roupa. Tive amigas que foram incríveis, elas até trocavam fralda da Maria para que eu pudesse ir ao banheiro sem pressa pelo menos uma vez", diz. "Ah, e saiba a hora de ir embora. Minha filha dorme por volta das 23h, não dá para ficar em casa até de madrugada".

"Não visite com outras crianças difíceis de controlar"

Arquivo Pessoal
Sandy e a filha de três anos Imagem: Arquivo Pessoal

Para a manicure Sandy Targino, de 24 anos, é muito importante evitar a visita com crianças bagunceiras.

"Se seu filho é espoleta, difícil de controlar, tudo bem. Mas é melhor não fazer visita nesses casos. As crianças são curiosas por natureza e colocam a mão em tudo. A última coisa que a mãe precisa é se preocupar com o que outra criança está fazendo, ela já está com toda a atenção voltada para o bebê, está cansada. A visita tem que ser um afago, não um momento de tensão", diz.

Outra coisa: as crianças podem trazer vírus e o bebê pequeno pode ainda não ter sido vacinado contra tudo.

Sandy é mãe de uma menina de três anos. Ela afirma que, quando o bebê ainda não anda, não é recomendável que a visita fique em casa por mais de 40 minutos. "Outra coisa importante: não comente nada sobre o corpo da mulher, não diga que logo ela vai emagrecer. A mulher, nesse momento, precisa de carinho e paciência".

"Ofereça para pegar o bebê enquanto a mãe toma banho"

Arquivo Pessoal
Imagem: Arquivo Pessoal

Mãe de um menino de quase dois anos, a publicitária Giovanna Rocha, de 23, afirma que dá para ser uma visita muito legal se não pensar só no bebê, mas, também, na mãe.

"Era bem legal quando amigos se ofereciam para ficar com o meu filho para que eu pudesse tomar um banho demorado. Só quem é mãe sabe como é difícil ter esse tempo para si, então eu ficava muito feliz. Outra coisa importante: leve um bolo caso vá à tarde e não aceite café".

"Minhas amigas elogiam: levo uma torta, álcool em gel e limpo a casa"

A assistente comercial Alicia Pilotti, de 23 anos, é a queridinha das amigas-mães. Ela conta as táticas que são sempre elogiadas entre elas.

"Sempre levo comida, normalmente uma torta fria que é minha especialidade e faz sucesso. Levo, também, um vidro de álcool em gel para deixar ao alcance dos outros visitantes. É ideal que eles limpem as mãos antes de encostar no bebê e até na mãe. Coloco umas roupas na máquina de lavar, limpo o banheiro e passo uma vassoura na casa. Se tem outra criança lá, me disponibilizo para dar um passeio com ela ou até mesmo cuidar dos dois para a mãe tomar um banho", diz.

"Antes de visitar, pergunte qual o melhor horário"

Arquivo Pessoal
Cibelle e o filho Imagem: Arquivo Pessoal

Visitar o bebê à noite não é uma boa ideia segundo a empresária Cibelle Barata, de 30 anos. Mãe de um bebê de seis meses, ela afirma que a criança fica sonolenta e a conversa alta a deixa ainda mais nervosa.

"Não demore muito na visita quando o bebê é pequenininho. O puerpério é uma fase em que a mãe está muito delicada, por isso, cuide dela, também. Não dê opinião sobre os cuidados com a criança ou aparência da mãe e não acorde o bebê se ele estiver dormindo. Ouça o que a mãe tem a dizer, seja compreensivo e não julgue caso ela desabafe sobre as dificuldades que é ter um filho", conta.

Segundo Cibelle, é bom evitar usar perfume forte para não incomodar nem irritar a pele do bebê. "E não fume antes da visita".

"Não leve presente só para o bebê. Pense, também, na mãe"

A empreendedora Bruna Lopes tem quatro filhos. Ela garante que as melhores visitas que recebeu foram as que se propuseram a conversar e ouvir o que ela tinha a dizer. Além disso, ela conta que ficou muito feliz quando recebeu presentes para ela e não apenas para o bebê.

"É legal levar um mimo para a mãe. Quando a criança nasce, todo mundo esquece dela e só pensa no bebê. Dessa forma, ela também se sente querida e cuidada. Fez toda a diferença para mim".

"Limpe a casa para a mãe"

Arquivo Pessoal
Natalia Barbosa e os filhos Imagem: Arquivo Pessoal

Esse conselho é mais indicado aos amigos íntimos da família, de acordo com a artesã Natalia Barbosa, de 32 anos. "É chegar e mãos à obra: troque uma roupa de cama, lave uma vasilha, limpe o banheiro ou faça um café. Não precisa fazer tudo isso ao mesmo tempo, mas uma dessas coisas, pelo menos, já alivia demais a nova mãe. Ela vai dizer que não precisa, mas precisa. Faça do mesmo jeito", diz.

Ela é mãe de três filhos e ouviu vários comentários a respeito da aparência das crianças. Ela garante: não são bem-vindos. "Outra coisa que é bom evitar são os comentários sobre com quem a criança deveria se parecer e a pergunta sobre quando a mãe vai voltar a trabalhar. Não critique a forma como a mãe está lidando com o nascimento do bebê".

"Não julgue a mãe pela aparência ou por leite azedo na roupa"

Arquivo Pessoal
Andreza Mangolim e a filha, de seis anos Imagem: Arquivo Pessoal

Mãe de uma menina de seis anos, a cozinheira Andreza Mangolim afirma que qualquer comentário sobre a aparência da mãe é dispensável. "Ela estará cansada, com olheiras e, muito provavelmente, com leite azedo na roupa. Não a julgue por isso, nem faça comentários. Ela sabe que está assim e não precisa de um olhar reprovador que não seja o dela".

Andreza sugere, ainda, que a visita se ofereça para ficar com o bebê para que a mãe descanse, pelo menos, um pouco. "Para que elas façam, pelo menos, uma refeição tranquila, tomem banho, o que elas quiserem fazer. A mãe precisa se sentir amparada com as visitas".