menu
Topo

Mães e filhos


Mães e filhos

Como Zoe, filha de Sabrina Sato: bebês podem usar óculos escuros?

Reprodução/Instagram
Sabrina Sato e Zoe: mãe e filha curtem óculos escuros Imagem: Reprodução/Instagram

Lucas Vasconcellos

Colaboração para a Universa

2019-04-15T04:00:00

15/04/2019 04h00

Quem segue Sabrina Sato nas redes sociais sabe: Zoe, a filha de quatro meses da apresentadora com Duda Nagle é tão cheia de estilo quanto a mãe. Os looks são compostos por enfeites diversos e, entre eles, óculos escuros.

Mas será que o acessório comumente usado por adultos é benéfico para a saúde ocular de uma criança tão pequena?

Primeiro, é preciso entender que já na maternidade, normalmente, ocorre o primeiro exame ocular. Em alguns Estados, como São Paulo, o Teste do Olhinho é obrigatório -- o exame ajuda a detectar alterações que possam causar obstrução no eixo visual ou uma possível cegueira. Quando o Teste do Olhinho apresenta resultado duvidoso ou alterado, o neném já é encaminhado para uma consulta com oftalmologista.

Reprodução/Instagram
Zoe, estilosa, acompanhada pela vó, Dona Kika, e da mãe Sabrina Sato Imagem: Reprodução/Instagram

Caso os resultados estejam dentro do esperado, o ideal é que o bebê seja avaliado entre o primeiro e o segundo ano de vida, esclarece a oftalmologista do Hospital das Clínicas de São Paulo Lisia Aoki.

A função dos óculos escuro, mais do que um artigo de moda, é proteger da radiação ultravioleta (UV), riscos de queimadura, ceratite agudamente e patologias como pterígio e catarata no futuro. Então, não há problemas em usar o acessório em crianças pequenas.

Contudo, não pode ser qualquer modelo, como ressalta Lisia Aoki: "Primeiro, devem ter tamanho adequado. As lentes devem ser feitas de material resistente a quebras e com proteção para radiação UV. Essas medidas são importantes para evitar problemas tanto em adulto quanto em crianças. Como as lentes escuras favorecem a entrada de mais luz e radiação nos olhos, as pupilas ficam maiores. Por isso a necessidade de que sejam específicas para combater a radiação UV", conta.

O sol tem função importante para nosso organismo, mas exige cuidado, ainda mais para os pequenos. "A exposição à luz solar é necessária para a produção de vitamina D, mas tem que ser feita com parcimônia, até porque a pele da criança é mais fina. O tempo de exposição varia em cada época do ano. Em média, é inofensivo ficar 30 minutos no sol, desde que antes das 10h ou após às 15h", alerta o médico pediatra e neonatologista, membro da Sociedade Brasileira de Pediatria e da Academia Americana de Pediatria Nelson Douglas Ejzenbaum.

Entre as dicas de Ejzenbaum para substituir os óculos, estão deixar a criança no carrinho com cobertura, fazer uso de bonés ou chapéus. Já o restante do corpo, deve ser protegido com roupinhas. "Protetor solar só a partir dos seis meses de idade", diz o pediatra.