Topo

Mães e filhos


Mães e filhos

Menino de 5 anos com autismo é "forçado a sair do cinema" por inquietação

Reprodução/Facebook
Imagem: Reprodução/Facebook

Da Universa

2019-04-13T11:09:11

13/04/2019 11h09

Um menino autista foi forçado a sair da sala de cinema, enquanto assistia ao live-action de "Dumbo", no condado de Kane, na Inglaterra, depois que a mãe afirmou ter "se sentido pressionada a deixar o local".

Em entrevista ao "Metro", Vicky Page, de 36 anos, contou ter levado Noah, de 5 anos, e os dois irmãos, de 9 e 10 anos, para assistir ao lançamento no Royal Cinema de Faversham no último final de semana.

No entanto, a sessão teria durado menos do que meia hora depois que uma mulher reclamou sobre a inquietação do garotinho.

"Noah não estava sendo desobediente, ele só estava muito animado e quando fica assim é difícil ficar parado. Ele não acreditava que o Dumbo poderia voar, mas, em vez de dizer isso em voz baixa, ele gritou: 'elefante super-herói voador' e começou a pular", disse a mãe.

Segundo Vicky, a reação fez com que outra telespectadora começasse a "olhar feio" para o menino, então ela pediu desculpas e compartilhou sobre o autismo do filho.

"Foi quando a mulher disse: 'eu não me importo com isso', e que eu deveria tê-lo deixado em casa se não pudesse fazer com que ele parasse. Isso me fez ficar toda vermelha e meus filhos perceberam, então saí da sala", relembra ela, contando ainda que ao se retirar da sala de cinema com os filhos deu cabeçadas no chão pelo sentimento de raiva.

A mãe conta ainda que a ida ao cinema, assim como qualquer outro evento que façam em família, sempre tem uma rotina estruturada para evitar problemas.

"Em relação ao Noah, tudo sempre é feito com contagens regressivas. Estávamos o preparando para ir ao cinema há uma semana. Nós não podemos fazer o que quisermos quando quisermos", disse ela.

Vicky opina que o cinema deveria realizar exibições especialmente para aqueles com condições como essa para evitar que confrontos semelhantes acontecessem. Segundo o "Metro", o Royal Cinema foi convidado para comentar, mas se recusou a responder às perguntas.