menu
Topo

Mães e filhos


Mães e filhos

Mãe conta como disfunção rara a fazia chorar intensamente na amamentação

Arquivo pessoal
Deena Todd Imagem: Arquivo pessoal

da Universa

2019-04-10T09:47:07

10/04/2019 09h47

Já imaginou ter crises de choro durante a amamentação sem nenhuma razão aparente? Deena Tood, uma mãe de 31 anos do Reino Unido, passou muito tempo sem entender porque o simples ato de dar de mamar para seu bebê lhe causava ansiedade e pânico.

"Ficou tão ruim que, quando eu sabia que ia bombear o leite ou amamentar, eu começava a chorar ao saber que esses sentimentos voltariam. A disforia me impediu de ser capaz de me sentir como uma mãe", desabafou, em entrevista ao jornal inglês "Metro".

De acordo com a publicação, a jovem chegou a ser diagnosticada com depressão pós-parto pelos médicos que a examinaram. No entanto, com o nascimento de seu segundo filho, Koby, de 8 meses, as emoções negativas continuaram e Deena decidiu pesquisar a fundo sobre o que sentia. Foi aí que ela descobriu uma disfunção pouco comum chamada D-MER -- reflexo disfórico da ejeção de leite.

Arquivo pessoal
Imagem: Arquivo pessoal

"Quando você amamenta e seu leite é liberado normalmente se produz hormônios bons. No caso da D-MER a dopamina cai, o que explica essa disforia", explicou ela, que decidiu ajudar outras mães que sofrem com o mesmo problema.

"O reflexo disfórico me fez sentir como uma mãe ruim ou que eu não deveria ser uma. O problema com ela é que, como ninguém sabia nada sobre isso, eu pensava que era culpada", contou.

Segundo Deena, após o diagnóstico ficou mais fácil lidar com o filho caçula. "Eu sabia o que estava acontecendo comigo quando o amamentava, o que tornava tudo muito mais fácil. Não estava com medo. Tinha meus próprios mecanismos de enfrentamento", afirmou.

Para a jovem, a demora no diagnóstico e a falta de informação a respeito do problema torna tudo mais difícil. "Precisamos de mais médicos que saibam o que é essa disfunção. Agora, há mães sentadas em casa que sentem que não deveriam ser mães. Nos fóruns, perguntei a todas o que elas queriam saber. Elas disseram que precisamos de exposição para que mais profissionais de saúde possam entender a D-MER", finaliza.