menu
Topo

Relacionamentos


Relacionamentos

Como Mel B com Geri, das Spice Girls: qual é o limite para expor alguém?

Divulgação
Imagem: Divulgação

Lucas Vasconcellos

Colaboração para Universa

2019-04-05T04:00:00

05/04/2019 04h00

Uma das turnês mais aguardadas no mundo da música pop deste ano é o retorno das Spice Girls. Assim como Sandy e Junior, elas dominaram as paradas de sucesso anos atrás e a possibilidade de ver a banda britânica unida gera comoção nos fãs. Tudo parecia certo para isso até que Mel B, uma das integrantes, revelou a um programa de TV ter tido um caso com Geri, outra companheira do grupo.

A revelação, segundo o jornal Daily Mail, pode causar o cancelamento dos shows. Guardadas às devidas proporções, as consequências das confissões de Mel B são as mesmas que muitos de nós enfrentam no dia a dia ao se expor em redes sociais, por exemplo. Contar histórias que envolvem terceiros, sem ao menos refletir o que isso acarretará ao outro, pode ser perigoso.

"Os motivos para tanta divulgação variam, claro. Há quem diga que foi para machucar, para chamar atenção… Mas há também quem fala sem pensar, julgando ser amenidade. E com isso não mensura as consequências, pois considera a própria exposição e de outros envolvidos nas histórias como um ato de ingenuidade e parte do pressuposto que não fará mal para ninguém", revela o psicólogo e doutor em neurociência do comportamento Yuri Busin.

De acordo com a personal e leader coach pela Sociedade Brasileira de Coach Silvia Donati, na maior parte das vezes, quem sai prejudicado é quem fala, principalmente dependendo do que motivou tal exposição. "O nosso cérebro é emocional, a gente tenta pensar, mas quem conduz nossa vida são as emoções e com isso acaba explodindo ou se prejudicando à toa", conta.

Linha tênue

Mesmo que você seja um dos protagonistas da história que está contando, como Mel B fez, a partir do momento que um outro alguém é citado, é preciso ter limites. Segundo Yuri Busin, para nomear alguém numa situação íntima é preciso ter o aval da pessoa, até para que você consiga lidar com as possíveis consequências e evite brigas. "Antes de falar algo, faça o exercício de refletir: você gostaria que revelassem tal fato sobre você? A partir daí, você poderá avaliar com mais clareza se diz algo publicamente ou não", alerta.

No dia a dia, no intuito de conseguir curtidas em uma rede social ou outra, muitas vezes deixamos de lado um sentimento importante: a empatia. "A gente vive numa sociedade em que pensar no próximo está cada vez mais extinto. Cada vez menos as pessoas fazem o exercício de se questionar se tal ação vai afetar negativamente o próximo. Ao mesmo tempo que tem quem curta exposição, há outras pessoas que, ao ver sua vida sendo divulgada por aí, sofrem muito.

Antes de alardear, vale reforçar -- reflita como se sentiria se fosse contigo. Caso não tenha contato com a pessoa para ter o consentimento de tal exposição, repense se vale a pena ou ao menos omita o máximo de informações que puder sobre as outras partes, como nome, para não ser tão direto. Caso o estrago já tenha sido feito, vale a pena recorrer as sinceras desculpas, conversar, explicar quais foram suas reais intenções e aprender com os próprios atos", finaliza o psicólogo.