menu
Topo

Relacionamentos


Relacionamentos

Dia da mentira: elas contam as lorotas que viram ou disseram no Tinder

Jacqueline Elise

Da Universa

2019-04-01T04:00:00

01/04/2019 04h00

No dia 1º de abril, é de praxe encontrar notícias falsas de celebridades que morreram (só que não) ou cair na pegadinha daquele amigo que te sacaneia no trabalho. Mas o que não tem data para acontecer é contar alguma mentira nos aplicativos de relacionamento. Seis mulheres revelam à Universa quais são as mentiras mais comuns que as pessoas contam no Tinder --inclusive elas mesmas:

Fonte da juventude

"Acho que o mais frequente é ver pessoas mentindo quantos anos têm. Principalmente os homens, vejo muitos fingindo que são mais novos, mesmo quando definitivamente aparentam ter mais idade."
Camila*, 25 anos, de São Paulo (SP)

Solteiros de Taubaté

"Quando eu era solteira, o mais normal era encontrar homem comprometido se fazendo de solteiros. Saí com um carinha muito bacana uma vez, a gente já se falava havia um tempo e ele dizia que era solteiro. Descobri que não era nos 45 do segundo tempo, quando o telefone dele começou a tocar sem parar. Era a namorada dele ligando."
Anna Couto, 33 anos, do Rio de Janeiro (RJ)

Mudou de nome

"Três anos atrás, conheci o carinha no Tinder. Papo vai, papo vem, resolvemos nos conhecer pessoalmente. O nome dele no app tava João. Fomos para o motel. Na hora de ir embora, quando fomos retirar o documento, a atendente disse 'Larissa e Rafael?'. Ele disse que o nome dele era Rafael, mas que estava usando o app na conta de um amigo --só que a foto era dele-- e como a conta estava vinculada ao Facebook ele não poderia mudar o nome. Foi bizarro. Nunca mais o vi."
Larissa S., 22 anos de São Paulo (SP)

A vida perfeita

"Eu conheci esse cara no Tinder, o Renato --única informação verdadeira. Ele disse que estudava em São Paulo e fazia medicina na USP, morava com três amigos e um cachorro num apartamento próximo da faculdade. Ficamos conversando por três semanas e ele disse que queria fazer especialização em neurologia pediátrica. Disse que mudou para minha cidade porque o pai dele tinha uma padaria que foi assaltada três vezes, em Sorocaba. Falou que antes de me encontrar estava num bar com um amigo, contou casos das ex dele, mas alguma coisa não estava cheirando bem, e depois que o deixei na casa dele, ele me bloqueou. Fui pesquisar o nome dele no Google e achei que que ele faz física médica em Ribeirão Preto, mas que prestava vestibular para medicina. O pai dele é quem era médico, e estava morto. E descobri que o Renato namora --vi fotos dele no perfil do Facebook da mãe dele".
L.R., 28 anos, de Piracicaba (SP)

'Falei que eu não entrava muito aqui'

"Eu passava horas ali, dando match, mas acho que a intenção era alimentar o ego porque eu nem curtia muito falar com ninguém. O meu noivo mesmo, eu o deixei no vácuo por dez dias e quando respondi, meti um 'desculpa a demora, eu não entro muito aqui'".
Natara Rocha, 28 anos, de Florianópolis (SC)

Moro sozinha, só que não

"Eu sempre minto que eu moro com alguém da família. Na verdade, eu moro sozinha. Se eu falar a verdade, vão achar que minha casa é motel e restaurante de graça".
Thaís*, 22 anos, de São Paulo (SP)