menu
Topo

Moda


Moda

Grife italiana se une à ONG para criar coleção de moda sustentável; veja

Getty Images
Livia Firth e Alberta Ferretti no lançamenbto da coleção "Love Me" na quinta-feira (28) Imagem: Getty Images

Da Universa

2019-03-29T11:22:56

29/03/2019 11h22

A Alberta Ferretti seguiu a máxima "útil + agradável" para entrar de vez na onda da sustentabilidade.

A label italiana, fundada em 1981, se uniu à Eco-Age -- ONG liderada pela ativista Livia Firth -- para criar uma coleção cápsula em celebração ao Dia da Terra, comemorado em 22 de abril. A ideia era desenvolver peças feitas com material orgânico, reciclável e de baixo impacto ao meio ambiente.

Entre os destaques da parceria estão uma camiseta de algodão orgânico com a frase "love me" ("Me ame", em português), além de um suéter de cashmere com os dizeres "It's a Wonderful World" ("é um mundo maravilhoso").

Os valores ainda não foram divulgados pela marca, mas no site oficial os preços de produtos similares variam de 250 a 495 dólares (entre 970 e 1,9 mil reais).

"Eu sempre me preocupei profundamente com o meio ambiente e é meu dever ser responsável por um mundo melhor para as gerações que estão por vir", contou Ferreti, em entrevista para a "Vogue UK". "Essa coleção marca o início de uma jornada de sustentabilidade e minha pequena contribuição, cheia de amor e paixão, como embaixadora de uma nova visão da indústria fashion", finalizou.

Todos os mínimos detalhes das peças -- que começam a ser vendidas no e-commerce a partir de 14 de abril -- foram pensados de acordo com a nova proposta da marca: as etiquetas, por exemplo, foram feitas de material reciclado e, no lugar das tradicionais sacolas, os clientes levarão para casa embalagens de baixo impacto ambiental e um saquinho de compostagem para conversar as roupas.

A parceria com a Eco-Age é novidade, mas a preocupação da italiana com sustentabilidade não é inédita.

Em 2011, Ferretti já havia feito uma colab com a atriz Emma Watson e a People Tree, marca pioneira no fair trade, que prática o comércio justo e emprega artesãos em Bangladesh.