Topo

Beleza


Beleza

Beleza coreana: como o erro de um maquiador fez de Cindy Oh uma referência

Arquivo Pessoal
Filha de imigrantes coreanos, Cindy Oh, 32, conquistou redes sociais ao maquiar mulheres asiáticas Imagem: Arquivo Pessoal

Natália Eiras

Da Universa

2019-03-14T04:00:00

14/03/2019 04h00

Eun Jeong Oh, 32, ficou muito tempo longe dos pincéis de sombra após passar por um "trauma" em um salão de beleza, como diz. Filha de coreanos, ela teve uma experiência negativa por causa da dificuldade de profissionais brasileiros em maquiar pessoas asiáticas. "Quando eu era adolescente, pedi para um maquiador ocidental me preparar para uma festa, mas ele não sabia exaltar olhos orientais. Fiquei muito montada. Parecia uma máscara. Não era eu, me senti péssima", conta à Universa. Atualmente, Eun Jeong é conhecida nas redes sociais como Cindy Oh, seu nome brasileiro. A maquiadora conquistou 25,3 mil seguidores no Instagram e 2,4 mil inscritos no YouTube ao se especializar em make para asiáticas e fazer tutoriais inspirados no visual das "idols", as atrizes e cantoras da Coreia do Sul.

Cindy é uma das principais criadoras de conteúdo sobre beleza coreana, uma febre nas redes sociais entre as aficionadas por maquiagem. De acordo com o Pinterest, as buscas por "maquiagem coreana" aumentaram 94% de fevereiro de 2018 até fevereiro deste ano dentro da plataforma. Porém, a profissional, que é fã de novelas da Coreia e k-pop (a música pop coreana), não entrou nesse ramo para surfar a tendência e sim por perceber que poderia atender um nicho que ela se incluía. "Eu sempre senti falta de profissionais que conseguissem me maquiar", afirma.

Assim como boa parte dos filhos de imigrantes coreanos da colônia localizada no Bom Retiro, bairro central de São Paulo (SP), Cindy trabalhou por 10 anos com produção e estilo, mas era bastante infeliz. Em casa, ela sempre gostou de usar base e delineador para esconder as marcas de espinhas. A maquiagem, no entanto, era apenas um hábito de autocuidado, assim como a rotina de tratamento de pele. "Em 2011, eu fiz um curso de automaquiagem durante um intercâmbio para a Coreia do Sul. Fiquei pesquisando bastante sobre o assunto em livrarias de lá", afirma.

Arquivo Pessoal
Cindy tem espaço próprio no Bom Retiro, em São Paulo (SP), e cobra R$ 450 por cabelo e maquiagem Imagem: Arquivo Pessoal

Quando voltou ao Brasil, pessoas próximas a incentivaram a se formar profissionalmente como maquiadora. Inicialmente, maquiava as próprias amigas. "E sempre tem casamento na colônia, né? Aí uma via a maquiagem da noiva e perguntava quem tinha feito. Nisso, me indicavam. Fui ganhando clientes no boca a boca", diz. Em 2017, ela abriu o próprio espaço com estúdio de fotografia e sala para noiva, onde cobra por volta de R$ 450 por cabelo e maquiagem. Em abril, vai dar aulas de maquiagem coreana na escola Beauty 4 Share.

Suas clientes, no entanto, não são apenas coreanas. Ela também atende mulheres japonesas e chinesas. Em seu Instagram, já contou que, por causa de sua profissão, teve a oportunidade de ver de perto um casamento tradicional chinês. "Eu me senti sortuda porque eles são muito fechados", escreveu na rede social.

"É uma questão muito de oriental. É que nem quando eu tenho a necessidade de cortar cabelo e prefiro procurar um profissional que entenda o meu tipo de fio, porque ele é diferente, mais grosso e pesado", fala Cindy. "A maquiagem é a mesma coisa. As pessoas me procuram porque os maquiadores brasileiros não entendem o tipo de pele que o oriental gosta, o tipo de olho, e ninguém melhor do que uma pessoa que também é oriental fazer isso para a cliente".

Beleza brasileira x beleza coreana

Getty Images
Jennie, rapper da YG Entertainment que tem inspirado visual de coreanas Imagem: Getty Images

Segundo Cindy Oh, uma artista que tem inspirado muito as mulheres na Coreia é a cantora Jeannie, da agência de talentos YG Entertainment. No entanto, o visual das "idols" é muito parecido em algumas características, que as coreanas optam em usar no dia a dia. "O estilo de maquiagem delas tem a ver muito com a questão cultural do país, mas cada uma se maquia da maneira que se sente mais bonita", fala.

Pele
"A pele que a coreana gosta de usar é quase sem nada de maquiagem. É uma base bem levinha, para parecer que ela acordou desse jeito. Elas gostam de uma pele mais luminosa, com aparência de saudável", afirma a maquiadora. A brasileira, por sua vez, gosta mais do "rebocão", segundo ela. "Ela quer uma pele mais matificada, com iluminador marcado nas partes altas da face".

Olhos
"Elas gostam de um olho mais suave, com apenas um tom de sombra, só para dar aquela corzinha no olho. Elas usam, ainda, muita máscara para cílios, cílios postiços ou extensão", diz Cindy, que pontua que o gosto brasileiro é o esfumado em preto ou marrom.

Blush
Enquanto a brasileira gosta de um blush mais marcado e que se estende pela lateral do rosto, as coreanas optam por colorir o centro da bochecha. "Para dar um ar de bonequinha. Em relação às cores, elas preferem o rosa queimado e o coral", comenta a maquiadora.

Boca
Na Coreia, lábios marcados com tons marcantes são coisa de "idols", de acordo com Cindy. "Elas usam a boca normalmente em dégradé, com cor mais no centro dos lábios. E os batons são cremosos, nenhum matte", finaliza.