menu
Topo

Novidades de beleza


Novidades de beleza

Dermaplaning: esfoliação feita com bisturi pode danificar a pele; entenda

Getty Images/iStockphoto
O bisturi é usado para promover a esfoliação da pele no dermaplaning Imagem: Getty Images/iStockphoto

Luana Kondrat

Colaboração para Universa

2019-02-27T04:00:00

27/02/2019 04h00

A rotina de cuidados faciais inclui, entre limpar, tonificar e hidratar, fazer uma esfoliação caprichada, respeitando sempre as necessidades da pele. Essa etapa serve para renovar as células: elimina as que estão mortas e estimula a produção de outras novas.

Por conta da popularidade das esfoliações -- das feitas em casa aos peelings em consultório --, surgem, a cada dia, novos procedimentos que prometem resultados mais eficazes. O dermaplaning é um deles: consiste em uma forma física de esfoliação, feita com bisturi. Como é mais invasivo do que os protocolos tradicionais, deve ser feito com muita cautela.

Com o uso de uma navalha, bisturi ou bisturi elétrico, devidamente esterilizados, o profissional -- no caso, esteticistas capacitadas -- faz movimentos bem rentes ao rosto, retirando os pelos e a primeira camada de células mortas, explica a cirurgiã dermatológica Juliane Viana, de São Paulo.

O dermaplaning melhora o aspecto da pele e as cicatrizes de acne, diz a médica Bárbara Carneiro, especialista em medicina estética, de Salvador (BA). Mas não é só: "Ele também elimina os pelos da face", esclarece a fisioterapeuta dermatofuncional Marina Berti, de São Paulo.

Para Bárbara, a técnica é uma alternativa para quem procura algo mais leve. "É menos agressiva do que o peeling químico ou o microagulhamento. Porém, o resultado não é tão bom quanto os alcançados em tais procedimentos", diz. Além disso, a cirurgiã Juliane afirma que, se feito com muita frequência, o dermaplaning pode causar danos e agressões a pele.

Dermaplaning caseiro

No YouTube, há tutoriais ensinando a fazer o procedimento em casa, com lâmina de barbear. Mas esse instrumento não é adequado, e pode causar cortes e outras complicações. "Existe a possibilidade de contaminação e infecção, principalmente se a pele tiver feridas abertas ou acne ativa, comum em pacientes com disfunções hormonais", alerta Marina.

Mesmo se feito por um profissional, não há consenso entre os especialistas sobre a segurança desse procedimento. "Existem técnicas que alcançam resultados melhores e com maior segurança, como o microagulhamento", conta a fisioterapeuta dermatofuncional.

O material utilizado deve ser descartável, portanto, é importante prestar atenção nisso. Outro ponto: o dermaplaning é realizado apenas por esteticistas. Porém, Juliane ressalta que não há um conselho que regule e fiscalize quem é habilitado ou não para oferecer esse procedimento.

É melhor fazer um peeling?

O peeling é um procedimento mais agressivo e remove parte da epiderme para promover uma renovação celular potente. "Durante o peeling há uma descamação para que os tecidos se regenerem, aumentando, assim, a produção de colágeno", explica a dermatologista Luciana Nocera, de Campinas (SP).

O protocolo é indicado principalmente para manchas, melasma, rugas, cicatrizes de acne e flacidez, dependendo do grau recomendado pelo médico. Os dois mais comuns são:

Peeling leve: Remove a camada mais superficial da pele, eliminando as células mortas. É bom para poros dilatados, renovar o viço e eliminar manchas leves e sardas.

Peeling médio: Ainda atua na camada superficial, mas com descamação maior -- ideal para estimular a produção de colágeno. Ajuda também a diminuir manchas e linhas finas.

Hoje muitos dos peelings são combinados com microagulhamento ou laser e até mesmo entre si. Mas essa decisão deve ser tomada com o seu médico, ok?

Dermaplaning

O que é? Técnica de esfoliação que usa um bisturi para remover pelos e células mortas da pele do rosto.
Resultados esperados: Pele mais macia e sem pelos, eliminação leve de manchas superficiais de acne.
Duração: 30 minutos.
Quantidade de sessões: A partir da segunda sessão já é possível ver resultados.
Contraindicações: Peles com acne ativa.
Manutenção: Pode ser feito mensalmente.
Valor da sessão: R$ 150 a R$ R$ 300.

Peeling

O que é? Procedimento que elimina a camada mais superficial da pele para promover renovação celular, estimular colágeno, atenuar linhas finas, eliminar manchas e melasma.
Resultados esperados: Pele com aspecto renovado, poros fechados, brilho e viço.
Duração: Os mais leves costumam ser feitos em 15 minutos. Os médios não levam mais do que 45 minutos.
Quantidade de sessões: Uma nos casos mais leves. Os médios não devem passar de três.
Contraindicações: Peles com melasma sem tratamento e preparação prévia, pessoas sensíveis aos componentes usados, incidência de sol (como a pele pode queimar e manchar, é melhor fazer no inverno).
Manutenção: O superficial pode ser feito a cada 15 dias. Os que descamam mais, a cada dois ou três meses.
Valor da sessão: De R$ 150 a R$ 300, para os leves, e de R$ 350 a R$ 800, para os mais profundos.