menu
Topo

Papo de vagina


Clitóris: 10 curiosidades sobre o órgão que você provavelmente não sabia

Getty Images/iStockphoto
10 curiosidades sobre o clitóris Imagem: Getty Images/iStockphoto

Jacqueline Elise

Da Universa

2019-02-19T04:00:00

19/02/2019 04h00

Você sabia que o clitóris é o maior responsável pelo prazer da mulher? Ou que, assim como a vulva, ele não tem o mesmo formato para todas as mulheres? Cada vez mais vem se descobrindo a função do órgão, mas ainda há muito a desvendar.

Universa, com a ajuda da ginecologista, obstetra e mastologista Mariana Rosário, de São Paulo (SP), cita as dez curiosidades comuns sobre o clitóris:

1. Só ¼ do clitóris é visível a olho nu

O órgão possui entre seis e nove centímetros de tamanho, mas somente uma pequena parte dele é realmente visível e exposto ao toque. "O restante fica dentro do prepúcio, que é a pele que o recobre", explica Rosário. Mas ela garante que o pouco que aparece é o suficiente para dar prazer.

2. Ele não é exatamente um "botão" --pelo menos não funciona como um

A especialista também explica que não faz muito sentido chamar o clitóris de "botão": ele só tem a aparência de um, mas não funciona como um. "A aparência dele é de um botãozinho, mas precisa de estímulos variados", diz. Ou seja, só apertá-lo não vai fazer milagre. Passe a mão em torno do clitóris e estimule-o com movimentos circulares, por exemplo.

3. A maioria das mulheres, para atingir o orgasmo, precisa do estímulo clitoriano

Um estudo da Psychology Today afirma que somente 25% das mulheres conseguem ter um orgasmo somente com penetração vaginal. Rosário confirma que, de fato, gozar sem outro tipo de incentivo é raro. É aí que entra o clitóris. "É muito difícil as mulheres terem orgasmo vaginal puro, quase metade delas precisa de estímulo clitoriano conjugado, mas poucas realmente colocam isso em prática por falta de conhecimento", afirma Rosário.

4. O clitóris fica mais aparente com o passar do tempo

A ginecologista explica que, conforme a mulher vai envelhecendo, a vulva perde gordura, isso faz com que a aparência do clitóris fique "maior". Ela explica que não é exatamente um crescimento, mas o órgão pode ficar de dois a três centímetros mais exposto com o passar do tempo.

5. Ele pode ter formatos diferentes para cada mulher

Assim como toda vulva é única, o formato do clitóris também pode variar. Rosário explica que, dependendo da vulva, ele pode ficar mais ou menos exposto. O que pode, efetivamente, alterar seu tamanho é o uso de alguns medicamentos e substâncias como anabolizantes.

6. Quando chega ao orgasmo clitoriano, a mulher pode ter cerca de 32 contrações em meio minuto

Chegar ao clímax somente estimulando o clitóris gera contrações, ou "espasmos", que podem durar cerca de 30 segundos e não se concentram só na região estimulada. "Elas vão aumentando de acordo com a excitação, e no final do orgasmo, toda a vagina e até o útero se contraem", afirma a especialista.

7. A única função dele é o prazer sexual

Não tem mistério: o clitóris não interfere na reprodução ou no funcionamento dos outros órgãos do aparelho reprodutor. Ele só existe para dar prazer, o que é motivo suficiente para existir. "Ele é o órgão do prazer feminino: tem muita função!", diz Rosário.

8. É possível dizer que existe "ereção clitoriana"

A ginecologista confirma que, sim, o clitóris fica entumescido ou "ereto" na hora da excitação. Assim como acontece com o pênis, o sangue é bombeado para ele quando a mulher recebe estímulo.

9. O clitóris não envelhece

Rosário explica que, com o envelhecimento da mulher, o órgão não chega a envelhecer --o máximo que acontece é a vulva ficar com uma aparência mais flácida, mas ele continua capaz de "se excitar".

10. Ele é muito mais sensível do que o pênis

Como se não bastasse possuir mais de 8 mil terminações nervosas (o pênis tem metade disso), o clitóris também tem a vantagem de ser menor do que um pênis, o que faz com que suas terminações fiquem concentradas em um espaço igualmente pequeno --por isso o orgasmo clitoriano é tão potente, segundo Rosário.