menu
Topo

Violência contra a mulher


Steven Tyler abre casa de acolhimento para garotas que sofreram abuso

Getty Images
Steven Tyler Imagem: Getty Images

da Universa, em São Paulo

07/02/2019 16h32

O vocalista do Aerosmith Steven Tyler abriu em Memphis, no estado americano do Tennessee na segunda-feira (4) uma casa de acolhimento para garotas que sofreram abusos e negligência.

Batizada como Janie's House, em homenagem à canção "Janie's Got a Gun" da banda, a instituição contou com US$ 5 milhões -- cerca de R$ 18,5 milhões -- de investimento do cantor.

"Este projeto faz bem ao meu coração e à minha alma. Ele é real", disse Steven à emissora WJHL, filiada local da CBS. Ainda segundo o canal, a casa já existia e era mantida pela fundação Youth Villages, mas agora foi reformada, reaberta e será apoiada pelo Janie's Fund, entidade beneficente mantida pelo músico.

"Como você pode imaginar, por estar em uma banda com homens por 50 anos, você pode ter problemas. E em vez de ter culpa, eu decidi ir para este centro de tratamento para codependência. Quando eu estava lá, todas as garotas que conheci haviam sido abusadas seja fisicamente, mentalmente ou verbalmente. Pelo menos 90% delas", disse ele sobre a concepção do projeto Janie's Fund, em 2015.

A Janie's House, quem tem capacidade para 14 garotas, é a segunda casa de acolhimento aberta por Steven Tyler desde então. A primeira está localizada na região metropolitana de Atlanta, no estado da Georgia, e foi inaugurada em 2017.

A motivação da iniciativa foi questionada após seu anúncio por veículos da imprensa especializada americana, já que em 1973 Steven Tyler adotou e, em seguida, engravidou Julia Holcomb, então uma adolescente de 16 anos.

"Ele mencionou que queria minha guarda para que eu pudesse viajar para estados diferentes com ele quando estava em turnê. Eu queria ter filhos e comecei a acreditar que ele deveria me amar de verdade, já que ele se transformou em meu guardião legal e pedia para ter filhos comigo. Ele jogou minhas pílulas anticoncepcionais da sacada do hotel em que estávamos ficando, que caíram na rua abaixo", escreveu Julia em carta para o "Life Site News" em 2011.

No mesmo texto, ela afirmou que, após ir parar no hospital após um incêndio no apartamento do casal, Steven Tyler a obrigou a abortar o bebê que ela esperava. Julia estava no quinto mês de gestação.