menu
Topo

Autoestima


Glória Pires sobre envelhecer: "Não quero ter 12 anos de idade para sempre"

Marcos Ribas/BrasilNews
Imagem: Marcos Ribas/BrasilNews

Carolina Martins

Colaboração para Universa

06/02/2019 14h30

Glória Pires marcou presença nesta quarta-feira (6) no evento "Marcas da Vida", promovido pela Cicatricure, onde conversou com a Universa sobre autoestima e envelhecer sob os olhares do público -- assunto que ganhou repercussão recentemente com a voz da apresentadora Xuxa Meneghel.

No bate-papo, a atriz, de 55 anos, afirmou que permanecer presa na juventude não está nos seus planos, mesmo que sua imagem seja tão explorada no campo profissional.

"Não quero ter 12 anos de idade para sempre. Sempre me senti muito mais velha do que minha idade. Talvez pelo fato de começar a trabalhar cedo. É outra responsabilidade. A vida muda um pouco de figura. Não dou essa importância ao aspecto da juventude. Ela está dentro da gente. Na nossa cabeça. Nas nossas práticas. No que a gente escolhe viver. Não me encaixo no padrão de 'por ser atriz tem que ser uma boneca'", afirmou ela.

"Quem foi o gênio que inventou o HD?"

Glória brincou ainda sobre a imagem em alta qualidade, incorporada de uma vez por todas pelas emissoras de televisões, e como isso reflete em sua autoestima.

"O HD é a coisa mais odiosa que alguém poderia ter inventado. Não dá para entender o gênio que inventou. Não inventou para colocar na cara da gente não. Inventou para mostrar o sexo das amebas, pegar o olho do tigre. Não foi para pegar a pele da gente. Salve-se quem puder", brincou. "Aceitação é isso aí. Eu concordo com a Xuxa, a gente, sendo artista, é muito importante que a gente se aceite e seja feliz com essa imagem que a gente vive dela. "

"Eu me vejo uma velhinha vivendo na natureza"

Mãe de quatro: Cleo, Ana, Antônia e Bento, Glória revelou o desejo de ser uma "velhinha vivendo na natureza" futuramente ao comentar sobre a instabilidade da carreira artística. 

"Eu me vejo uma velhinha vivendo na natureza. Estou completando 50 anos de estrada, não é pouca coisa. Tenho pensado sobre isso. Artista é uma profissão que não tem fim. Não tem prazo de validade, mas eu tenho pensado bastante nisso [sobre viver afastada]. Não para definitivamente, mas curtir um pouco mais a vida na natureza, que é onde eu sinto ser um ambiente para um contato importante pra mim."

Passagem do tempo e autoestima

Por fim, a atriz reforçou que não tem como ignorar a passagem do tempo e disse que considera isso uma arma para estar bem consigo mesma.

"Não tem como você estar viva e o tempo não passar. Quanta coisa a gente aprende no decorrer da vida! Felizmente agora existe esse movimento das pessoas se olharem e se aceitarem. Não tentar ser algo que você não é. A maior beleza é essa: estar inteira", concluiu.