menu
Topo

Direitos da mulher


Luísa Sonza rebate hater por "não querer engravidar" de Whindersson Nunes

Reprodução/Instagram
Imagem: Reprodução/Instagram

Da Universa

03/02/2019 10h22

Luísa Sonza mostrou em seu Twitter na madrugada deste domingo (3) que comentários machistas não passarão após responder um internauta que a criticou por "não querer engravidar do Whindersson Nunes"; no caso, seu marido.

Tudo começou quando a cantora, de 20 anos, publicou na rede social que estava com saudades do comediante: "Eu to com saudade do Whindersson", escreveu ela, que foi questionada por um dos seus seguidores, logo depois.

"Amor você força tanto, você diz que ama ele e não quer ter um filho com ele, que amor é esse?", indagou.

E como aquele ditado diz: "quem fala o que quer, ouve o que não quer", Luísa aproveitou a oportunidade para rebater todo o teor machista desse questionamento com um textão.

No ínicio dele, a cantora fala que sempre foi vista como "interesseira" -- por parte do público -- por estar com Whindersson, algo que, segundo ela, está diretamente ligado na submissão imposta às mulheres em relação aos homens na sociedade.

"Engraçado que quando eu comecei meu namoro com o Whin, eu só queria fama e ia engravidar dele. Quando casei, ia me separar dele e pegar o dinheiro dele, mas quando disse que eu não queria ter filhos porque tava focada na minha carreira e em ganhar o meu dinheiro, aí continuo não amando ele porque deveria ser esse meu papel de mulher, porque afinal pra que eu sirvo se não for só pra 'dar' um filho para ele. Que amor de 'mulher' é esse?", pergunta.

Ao longo do desabafo, Luísa continua falando sobre como a mulher é sempre vista como "interesseira, burra, fútil, aproveitadora ou submissa".

"Mulher é considerada tudo menos alguém que queira ser alguém na vida pelo próprio esforço, sem depender de ninguém, mulher não é considerada capaz de amar alguém, mulher sempre é vista como interesseira, burra, fútil, aproveitadora ou submissa. Mulher não pode amar e querer ter seu trabalho, mulher é obrigada a abrir mão dos sonhos pra 'se dedicar à família' porque esse é o papel dela", continua.

Mulher pode amar, mas não querer ter filhos. Mulher também pode se dedicar ao marido e não ser interesseira. Mulher pode ser mais do que um objeto, mais do que algo superficial

"Mas se ela se dedica a família é um peso ou é a 'interesseira sustentada pelo marido'. Enfim, isso é um pouquinho de tudo que a mulher é 'considerada', mas uma coisa que é quase impossível de alguém ver é que uma mulher é capaz de amar alguém e querer ter sua carreira. Mulher é capaz de amar alguém pelo que a pessoa nem na cabeça, não no bolso. Mulher pode amar, mas não querer ter filhos. Mulher também pode se dedicar ao marido e não ser interesseira. Mulher pode ser mais do que um objeto, mais do que algo superficial. Mulher pode simplesmente ser mais. E nós somos", concluiu.