menu
Topo

Sexo


Sexo

Sex Education: 7 temas da sexualidade feminina tratados pela série

Reprodução/Netflix
As personagens femininas são essenciais na série da Netflix Imagem: Reprodução/Netflix

Jacqueline Elise

Da Universa

30/01/2019 04h00

Entender a própria sexualidade durante a adolescência pode ser complicado: não saber exatamente o que quer, ter dúvidas se algo é "normal" ou não, sem contar os conflitos específicos dessa fase na escola. É com base nesse cenário que a Netflix lançou sua nova produção original "Sex Education".

A série acompanha o jovem Otis (Asa Butterfield), que cresceu com sua mãe sexóloga (Gillian Anderson) e, apesar de ainda ser inexperiente, ele usa os conhecimentos sobre sexo e relacionamentos aprendidos com a família e, com a ajuda de sua amiga Maeve (Emma Mackey), "atende" seus colegas do colégio para tentar resolver seus problemas sexuais.

Por tratar a sexualidade sem filtro e sem complicações, "Sex Education" agradou o público e, de quebra, abordou diversos aspectos da sexualidade feminina de forma honesta. Aqui, listamos 7 vezes em que a vida íntima das mulheres foi assunto na série (cuidado, o texto contém spoilers):

1. As personagens confessam suas insatisfações no sexo

Não são poucas as vezes em que as mulheres de "Sex Education" soltam o verbo sobre a performance sexual de seus parceiros (ou parceiras). Logo nos primeiros episódios, a adolescente Aimee (Aimee Lou Wood) confessa que sente seu namorado distante durante o sexo, ao ponto de flagrá-lo mentindo que tinha gozado. Outra personagem também reclama que seu namorado não entende os motivos pelos quais ela quer transar de luz acesa. E uma garota, que é lésbica, marca uma "consulta" com Otis para entender por que não consegue se satisfazer com sua namorada.

2. Quando Maeve decide fazer um aborto

Maeve protagoniza um dos momentos mais importantes da temporada: ao descobrir que está grávida do garoto com quem transa às escondidas, ela toma a decisão de abortar, pois, com 17 anos de idade e morando sozinha, não tem condições de cuidar da criança. Ela realiza o procedimento em uma clínica especializada e em momento algum se arrepende disso --além de não ser julgada por Otis, que lhe faz companhia no dia do aborto.

3. A descoberta da masturbação feminina

Com um namorado novo, Aimee percebe que nunca soube dizer o que gostava de fazer durante o sexo, pois sempre "performava" na hora H. Ao conversar com Otis, ela tenta se masturbar pela primeira vez e descobre o prazer em estimular o clítoris. Quando tem a certeza do que gosta, Aimee se sente confiante em "dar as coordenadas" ao seu namorado.

4. Relacionamento entre meninas

"Sex Education" fala muito sobre aceitar as diferenças. Na maior parte, quem incorpora estes assuntos é Eric (Ncuti Gatwa), melhor amigo de Otis, mas a série também dá atenção às meninas lésbicas. Ruthie e Tanya são um casal que procura a ajuda do "terapeuta" para terem mais prazer durante o sexo. Ao longo da série, vemos que ambas se ajudaram a entender melhor a própria sexualidade e se ajudaram a sair do armário.

5. Pornografia de vingança e xingamentos machistas

Uma das primeiras cenas da série mostra Maeve sendo xingada pelos corredores da escola pois espalharam um boato sexual sobre a garota. Ela passa a temporada toda lidando com as provocações dos colegas, inclusive reagindo aos comentários mais grosseiros e machistas, chamando-a de "vadia" para baixo. Por sentir "na pele" o que é ser humilhada publicamente, Maeve faz questão de ajudar uma das garotas populares do colégio, que descobre que alguém está vazando suas fotos íntimas e ameaçando revelar sua identidade.

6. Sororidade

O episódio que aborda o tema da pornografia de vingança mostrou, também, que as mulheres sabem se unir. Durante um pronunciamento oficial do diretor do colégio, os meninos começam a tirar sarro da situação, e as garotas decidem "assumir a autoria" do nude vazado para que a verdadeira identidade da vítima não seja revelada.

7. O tabu da virgindade

Otis passa a série em conflito com sua sexualidade, inclusive se perguntando se poderia dar conselhos aos colegas sendo virgem ainda. Mas a questão da virgindade também é abordada com a personagem Lily, que gosta de escrever e ilustrar ficção erótica, apesar de nunca ter transado. Ela passa a série procurando um parceiro em potencial, mas tratando suas tentativas frustradas de forma leve e aprendendo com os erros.