menu
Topo

Direitos da mulher


Pela 1ª vez, Academia Cearense de Letras terá uma mulher na presidência

Reprodução/Twitter
Angela Gutiérrez Imagem: Reprodução/Twitter

Da Universa

30/01/2019 12h05

Pela primeira vez em 124 anos, a ACL (Academia Cearense de Letras) será presidida por uma mulher. 

O nome, escolhido por unanimidade, é o da escritora Angela Gutiérrez, que desde 1997 ocupa a cadeira número 18 e é bisneta do primeiro presidente da Casa, Tomás Pompeu de Sousa Brasil. 

"Tenho o sentimento bom de que estou dando continuidade a um processo e, como ele, pretendo dar foco a autores cearenses de diferentes setores da sociedade, aproximando a Academia das pessoas", disse, em entrevista ao "Diário do Nordeste".

A nova presidente, que permanece no cargo até o final de 2020, acredita que ser a primeira mulher presidente pode ser precedente para que outras mulheres ocupem o mesmo cargo no futuro. 

"Quando uma mulher abre uma porta, ela não abre só para ela, mas deixa aberta para as outras", disse, prometendo criar iniciativas para incluir também autores negros, indígenas e da população LGBT.   

Gutiérrez é graduada em Letras e mestre em Educação pela Universidade Federal do Ceará, além de douturanda pela Universidade Federal de Minas Gerais. Atualmente, leciona no Departamento de Literatura do Programa de Pós-Graduação em Letras, da UFC. 

Antes disso, foi diretora da Casa José de Alencar e recebeu o Prêmio Estado do Ceará após publicar a segunda edição de seu primeiro romance, "O mundo de Flora", em 2007.